quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Ainda com dúvidas...

Reescrever novamente neste blog? Criar um novo e "enterrar" definitivamente este? Humm...

«Decide on what you think is right, and stick to it.»
George Eliot

sábado, 18 de dezembro de 2010

Um, dois... experiência...

Deixa ver se isto ainda funciona...

sábado, 21 de novembro de 2009

Já Cheira a Natal


Há 12 anos que Bob Dylan não aparecia num videoclip e ei-lo que surge neste "Must Be Santa", single de apresentação do álbum "Christmas in the Heart".

Vale a pena ouvir a cover deste clássico de Natal.

Reindeer sleigh, come our way,
HO HO HO, cherry nose,
Cap on head, suit that's red,
Special night, beard that's white,

Must be Santa, must be Santa,
Must be Santa, Santa Claus!

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Te Deum n. 2 em Dó Maior - Franz Haydn


Uma interpretação do Te Deum n.º 2 de Haydn pelo Coro de Câmara da Bairrada (do qual faço parte), acompanhado pela Orquestra Filarmonia das Beiras, num espectáculo que decorreu no passado dia 8 de Novembro na Mamarrosa (Oliveira do Bairro, Aveiro).

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Os resultados autárquicos de Vagos

Não a margem para dúvidas: o PSD de Vagos é o grande vencedor da noite eleitoral do passado domingo. Os resultados provisórios, ontem revistos pela Assembleia de Apuramento Geral, mas sem alterações dignas de relevo, são bem o indicador disso mesmo.

Comparando com os resultados de 2005, o PSD de Vagos cresce em todas as frentes: Assembleias de Freguesia, Assembleia Municipal e Câmara Municipal.

Em relação às Assembleias de Freguesia, e olhando para o somatório dos resultados, o PSD viu a sua votação aumentada em quase 1000 votos, permitindo a conquista de 74 mandatos, mais oito que em 2005. O movimento Vagos Primeiro ficou reduzido a apenas 25 mandatos, aquém dos 29 conquistados conjuntamente pelo CDS e pelo PS vanguense.

Nas Assembleias de Freguesia os resultados mais expressivos foram verificados em Santo André, Santa Catarina, Ponte de Vagos, Santo António, Fonte de Angeão e Ouca, com as Assembleias de Freguesia quase ocupadas totalmente por membros apresentados nas listas do PSD (no caso de Fonte de Angeão, o PSD foi lista única). A única nota negativa é a perda da Junta de Freguesia de Vagos para o movimento Vagos Primeiro, apenas possível porque este movimento evitou a dispersão dos votos do CDS e do PS.

Para a Assembleia Municipal, o PSD cresceu quase oitocentos votos, o que comparado com o aumento marginal de menos de 40 votos do movimento Vagos Primeiro (tendo como base de comparação a soma dos resultados do CDS e do PS há quatro anos), revela a confiança depositada no PSD. Apesar deste resultado díspar, o PSD mantém os mesmo 14 mandatos conquistados em 2005, e o movimento Vagos Primeiro 7 mandatos.

Na eleição da Câmara Municipal, o eleitores voltaram a depositar a novamente os destinos do concelho de Vagos nas mãos doDr. Rui Cruz, dando-lhe mais de 63% de votos. Nesta eleição o efeito do movimento CDS-PS fez sentir os seus efeitos: evitando a dispersão de votos o movimento Vagos Primeiro consegue arrebatar um dos vereadores conquistados pelo PSD em 2005, ficando o executiva camarário constituído por 5 vereadores do PSD e 2 do movimento Vagos Primeiro.

Apesar destes resultados crescentes, a abstenção continuou a marcar uma presença significativa, tendo atingido valores na casa dos 42% nos três actos eleitorais. Houve um aumento de praticamente 1000 votantes, quando comparado com 2005, mas ao mesmo tempo houve um aumento de quase 4000 novos eleitores, consequência em grande parte do recenseamento eleitoral automático. Foi notória nas mesas onde iriam votar os novos eleitores uma abstenção bastante superior à verificada nas restantes mesas, indicador de que mais tem de ser feito para sensibilizar os novos eleitores para o dever e a nobreza deste acto cívico de grande importância para o futuro da nossa nação.

Finalmente, o povo de Vagos está de parabéns pela maneira muito dignificante com que encarou o acto eleitoral de domingo, sem que se tenham verificado casos dignos de registo.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

"Vagos Primeiro" a ir ao fundo

E chegado ao último dia da campanha que antecede o acto eleitoral que ditará os novos órgão autárquicos, o pseudo-movimento apartidário “Vagos Primeiro”, num último alento de desespero para reverter a sua posição de derrotado, eis que lança os seus colaboradores na distribuição de um panfleto carregado de 4 mãos cheias de mentiras, insultos, insinuações e difamações. Tudo num timing característico de agentes cobardes, que pretendem desta forma evitar que a verdade seja sabida em tempo útil

Mais uma vez a política vaguense é construída na base da mentira e da falsidade, em vez de falar em ideias. No entanto compreende-se que os partidários do movimento “Vagos Primeiro” não desejem enveredar por este tipo de discussão, tal o deserto de projectos que graça nos infomails que entretanto distribuíram durante a campanha.

O que poderia ser de facto uma intervenção cívica com responsabilidade, apanágio que o movimento “Vagos Primeiro” tanto preconizou durante o tempo de pré-campanha, acabou por cair no esquecimento assim que foi dado o tiro de partida da campanha.

Assistimos a duas semanas de campanha em que o tom das acusações difamatórias e enviesadas do movimento “Vagos Primeiro” aumentavam na medida em que se iam sucedendo as sessões de esclarecimento e demais iniciativas de campanha com pouca ou nenhuma afluência do público, tal a apatia que este movimento ‘apartidário’ conseguiu imprimir.

Não se pode esperar seriedade numa iniciativa dita cívica quando esta é apresentada inicialmente como apartidária e depois, com o início da campanha, e ao constatar que os militantes do CDS/PP de Vagos estavam descontentes com a descaracterização da segunda força partidária do concelho, é transformada num movimento que congrega o CDS e PS.

O paradoxo desta politização do movimento "Vagos Primeiro", que pretendeu assim tentar lavar a face frente ao eleitorado do CDS local, salta imediatamente à vista quando consultados os órgãos nacionais do CDS e do PS. É possível verificar que “Vagos Primeiro” simplesmente não existe para o CDS/PP nacional (o que pode ser consultado aqui). Por outro lado, o PS diz claramente que o Eng. Mário Martins é o candidato do PS para a Câmara Municipal de Vagos (pode ser consultado aqui). E andam os eleitores do CDS de Vagos enganados ao pensarem que estão a apoiar um candidato da sua família política. Um verdadeiro cinismo político.

Absurdo é observar como o CDS/PP de Vagos se deixa ir a reboque de interesses políticos do PS vaguense. Não deixa de ser lamentável que o CDS vaguense tenha neste momento uma direcção que nada tem dignificado a história deste partido em terras de Vagos, permitindo-se servir de apoio político aos dirigentes do PS local. Lamentável que tenham deixado levar os seus militantes a apoiar um movimento que foi cozinhado apenas para tentar dar algum impulso ao PS de Vagos, um partido com pouca expressão autárquica neste concelho. Ao ajudar ao PS manter a cabeça fora da água, o CDS de Vagos pode bem morrer afogado no mar de mentiras e aldrabices que semeou durante estes últimos quinze dias.