sexta-feira, 26 de maio de 2006

Quando é preciso dinheiro somos todos paroquianos!



A ARCO, e todos os que nela participam, seja no Rancho Folclórico, no Rancho Folclórico Infantil e no Coro Misto, podem não ser considerados para participar na festa do jubileu da paróquia de Ouca. No entanto para pedir dinheiro... bom a conversa aí é outra: somos todos da paróquia!

Ou seja, para participar da festa não somos da paróquia... mas para pagar a festa já somos da paróquia. Um conceito interessante.

Ficam apenas algumas dúvidas no ar:

1. Quem contabiliza o dinheiro para a “prenda”?

2. A quem são prestadas contas? A comunidade saberá como o dinheiro foi gasto?

3. Quem decide a compra e com quem será feito negócio?

4. A pintura da torre não foi já financiada com os cortejos de oferendas dos últimos anos? Afinal, houve cortejos que foram realizados e na altura foi dito que seriam para esse propósito.

5. Quem suporta os custos da festa do jubileu? Há financiamento próprio? Serão utilizadas verbas vindas destes “peditórios”? Ou haverá mais um “peditório” para suportar a festa?

5 comentários:

bekas disse...

Ok! Só descobri este blog agora pelo jornal, mas estou a gostar. Estava à espera que fosse lamechas como alguns-muitos que há por aí, mas não, mete farpas, provocações e como eu conheço o meio, apesar de não ser de lá, ainda se torna mais delicioso!

bekas disse...

Linkei-te. Espero que não te importes.

Tony Almeida disse...

Não há problema. Aliás, agradeço a simpatia e retribuo colocando também um "ponto ligado" ao blog "TreTasAoKilo".
Um abraço,
Tony

Anónimo disse...

daquilo da qual tenho conhecimento e pelo que já vi,a maior parte das actividades organizadas para o jubileu são com parcerias com outras colectividades que estão dispostas a fazer trocas, mesmo se qualquer lucro. O Professor Benjamim disponibilizou-se a fazer uma actividade com a Orquestra Ligeira de Calvão para a Tuna de Pte. Vagos quando eles necessitarem. Como vês Tony, ainda há pessoas que trabalham para valorizar aquilo que é necessário e não para se mostrar aos outros. Fátima Rocha.

Tony Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.