sexta-feira, 2 de junho de 2006

Dia de Cão

O país está na situação que está. Todo mundo tem a percepção disso. É o fecho das maternidades - ainda mais que Badajoz diz que só pontualmente atende parturientes vinda de Elvas -, é a lei da mobilidade dos trabalhadores da Administração Pública, é os 60.000 professores que não foram colocados na primeira fase do concurso, é o problema das contas públicas, é o desemprego, é o baixo índice de confiança... e da parte do PSD o que é que vemos? A apresentação de um Projecto de Resolução que visa a instituição do "Dia Nacional do Cão". Nem mais nem menos. Um dia dedicado ao fiel amigo do homem.
Quem me conhece sabe perfeitamente que sou social-democrata, filiado e represento o partida na Assembleia Municipal de Vagos. Mas, que raio!, não consigo entender quem teve a ideia peregrina de considerar a instituição do Dia Nacional do Cão como uma prioridade nos dias que correm. Por vezes fico com a ideia de que os nossos deputados, não interessa de que quadrante político, não gostam de ser levados a sério.
Mas vamos ser mais claros.
Este Projecto de Resolução parte de uma petição de 7.162 assinaturas entregue no Parlamento no início do Maio e tem por objectivo fazer uma campanha de sensibilização no sentido de as pessoas não abandonarem os animais antes das férias de verão. Infelizmente esta é uma situação que ocorre muito mais vezes do que se possa julgar. Também é verdade que o cão é de facto um animal com grande intervenção social, que vai desde o simples animal de estimação até o apoio no socorro a vítimas. No entanto, penso que não é o facto de se lhe dedicar um dia que ele venha a ser tratado melhor. Quanto muito poderá ser mais uma oportunidade para dar asas às ideias de consumismo a nossa sociedade.
Fique claro que gosto de cães (apesar de me fazerem alguma alergia) e não quero com isto parecer pouco preocupado com eles. Parece, por vezes, é que os nossos deputados estão menos preocupados connosco.

Sem comentários: