sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

A única preocupação são os euros

Decididamente este governo deixou-se ficar com umas palas nos olhos e não consegue ver nada para além do controlo do défice, independentemente do impacto que as medidas para consolidar as contas públicas possam ter na nossa sociedade.

A última vem novamente da educação: O Ministério da Educação deu ordens para que se deixassem de pagar as gratificações aos docentes que asseguram a orientação dos estágios pedagógicos. Justificação: deixou de "ter previsão ou habilitação legal que sustente a sua atribuição". Esta leitura legal pende-se com um decreto lei de Julho de 2005 no qual o Governo eliminou o pagamento de qualquer retribuição aos alunos estagiários. Ora deixa ver... uma vez que esta remuneração adicional se trata de um incentivo (ou contrapartida) para que os docentes aceitem trabalho para além das suas competências devidas - e estamos a falar de uma gratificação de 84.34 euros - e por que existe um decreto que estipula que os alunos estagiários não podem receber dinheiro, os seus orientadores também não podem?! Sendo um serviço que é prestado pelos docentes, não deveria ser pago?! Se existe esta lacuna lega, não poderia ser corrigida?! Mas nããããoooo... é mais fácil deixar de pagar para assim poupar mais uns trocados.

É este o investimento que o estado faz na educação. É esta a política educacional à qual o PS nos tem estado a habituar: o total desinvestimento no ensino.

E depois vêm a falar de apostas tecnológicas.

Sem comentários: