quinta-feira, 8 de março de 2007

Nascimento na A14

Não foi na Figueira da Foz, porque a maternidade foi encerrada; não foi em Coimbra, porque não chegou a tempo; foi na autoestrada A14, numa ambulância dos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz.

É este tipo de episódios que nos faz pensar se a política economicista do governo, que se escuda por detrás de estudos técnicos, justificam este tipo de situações. Desta vez não ocorreu nada, mas e se o parto se complicasse? e se a mãe e/ou a criança precisassem de ajuda especializada?

Saliento uma passagem da notícia que vem hoje no Público online: «O parto foi assistido pela equipa médica da ambulância dos BVFF, onde, "por acaso", seguia uma médica do INEM».

1 comentário:

Raposa Velha disse...

Já tivemos a geração fast-food. Agora é a vez da geração fast-born-in-the-highway :-)