sábado, 14 de abril de 2007

Alguém se importa de esclarecer?

Pelos vistos os quase 45 minutos da entrevista do senhor licenciado em engenharia José Sócrates serviu mais para confundir do que para esclarecer, ou pelo menos assim o continua a entender o jornal Público que volta "à carga" e chama a atenção a novas discrepâncias entre o que foi apresentado na RTP e dados que o jornal recentemente colheu na Covilhã.

Será disto que nos devemos regozijar, segundo o nadador-salvador Mariano Gago? Ou será que o brilhantismo e a clareza com que foram feitas as explicações do senhor licenciado, segundo palavras do PS na RTPN, afinal foram baças e opacas? Será que também é culpa do "baixinho", como dizem os outros?

Em que é que ficamos? Afinal o que é a verdade? Como é que podemos aceitar as exigências de alguém que, a ser verdade, optou pelo caminho fácil? Volto a repetir, não está em causa o facto de se ser ou não licenciado em engenharia, explicação que infelizmente o PSD teima em entender como sendo crucial. Mais importante do que isso é saber que se o nosso primeiro ministro tem ou não tem moral para exigir tanto dos portugueses quando ele próprio poderá ter preferido o caminho fácil.

Sem comentários: