segunda-feira, 21 de maio de 2007

E as outras "Maddies"?

Não consigo imaginar qual será a dor dos pais que vêm desaparecer um filho, em particular quando esse desaparecimento é devido a um rapto, mais grave ainda se esse rapto for de natureza sexual. Penso que ninguém é capaz de se colocar na pele dos pais da Madeleine, desaparecida a mais de duas semanas e sem qualquer pista concreta sobre o seu paradeiro. Se não se passou pela experiência - e longe de mim estar a desejar isso a alguém! - penso que muito dificilmente alguém compreenderá o tormento de uma família que se vê atingida sentimentalmente em proporções imensuráveis.

Para além do desaparecimento desta criança, um outro facto me choca ainda mais profundamente: a forma desproporcionada em que foram tratados outros casos semelhantes ocorridos no nosso país.

Será que as autoridades portuguesas estão a tratar este caso com mais cuidado? Quero crer que não, quero acreditar que fizeram (ou ainda estão a fazer) o mesmo trabalho que têm vindo a desenvolver desde o aparecimento da Madeleine.

Mas chega a ser aberrante a forma como os média acompanham o caso.

Em outros casos semelhantes, em que crianças portuguesas desapareceram sem deixar rasto, tiveram, algumas, algum destaque na comunicação social.

Depois foi o esquecimento.

O presumível rapto da Maddie já tem mais de duas semanas e continua a ser notícia dos telejornais.

Sinceramente gostaria que todas as outras vítimas de desaparecimento tivessem tido também o "privilégio" de ver a sua imagem fortemente divulgada. Gostaria que não fossem atiradas para a prateleira das notícias menos interessantes.

E gostaria que fossem encontradas, assim como espero que também encontrem a Madeleine.

Sem comentários: