terça-feira, 31 de julho de 2007

Somos Mesmo!

«A mim, pessoalmente, a coisa chateia-me. Mas até agora quase não li uma linha sobre o assunto - apenas o martelar cego na tecla que se tornou dogma nas últimas semanas: somos governados por gente autoritária e arrogante. Não me entendam mal: nós somos mesmo governados por gente autoritária e arrogante.»

Cafeína e Exercício contra Cancro

Depois de um início algo tímido do verão, o sol e o calor parecem estar definitivamente instalados, um verdadeiro convite para dar um salto até a praia e relaxar na areia na companhia de um bom livro.

Uma das grandes preocupações para quem se dedica aos "banhos de sol" é a exposição à radiação ultravioleta e consequente risco de contrair cancro da pele. Nestes últimos dias o índice ultravioleta tem estado a bater o limite máximo da escala, recomendando-se por isso que as pessoas se ausentem das praias nas horas de maior sol. Para consultar a previsão do índice de UV basta visitar o sítio do Instituto de Meteorologia.

Ora, a Reuters noticiou na segunda-feira o anuncio feito por cientistas que afirmam que o exercício combinado com consumo moderado de café pode ajudar a prevenir o cancro da pele. Mais precisamente, experiências em ratos mostraram que a cafeína e o exercício combinados conseguiram, de algum modo, destruir células cujo ADN foi destruído através de radiação ultravioleta B (o famoso UVB), células estas que originariam células pré-cancerígenas.

Assim dito desta forma leva a crer que basta beber uns cafés na esplanada e dar umas caminhadas pela praia para prevenir o cancro da pele. No entanto, os cientistas ainda não provaram se estes resultados são aplicáveis em seres humanos.

Entretanto mais vale continuar a recorrer ao protector solar e seguir os cuidados com a exposição ao sol...

segunda-feira, 30 de julho de 2007

ICE - In Case of Emergency (Em Caso de Emergência)

Recebi hoje um e-mail com o seguinte conteúdo que gostaria de partilhar:

"Os bombeiros e o INEM deram-se conta que muitas vezes, nos acidentes rodoviários, os feridos trazem consigo um telemóvel. No entanto, na hora de intervirem, não se sabe a quem contactar da lista interminável de números. Lançam-nos por isso a ideia de que toda a gente acrescente na sua agenda o telefone da pessoa à qual contactar em caso de urgência sob o mesmo nome. O nome internacional é ICE (= In Case of Emergency). Com este número inscreveremos a pessoa com a qual deverão contactar os bombeiros, polícias, INEM, protecção civil...

Quando houver várias opções poderemos assinalá-las como ICE1, ICE2, ICE3, etc. É simples, não custa nada e pode ajudar-nos muito!

Se vos parece uma boa ideia, passem esta mensagem ao maior número de pessoas."

Olhando para este texto fica-se com a ideia de que se trata de mais um mito urbano, mais uma daquelas histórias veiculadas por correio electrónico e sem qualquer tipo de fundamento.

Na realidade esta mensagem é uma meia verdade.

De facto, o conceito de um número ICE existe e surgiu no Reino Unido no ano de 2004 e foi proposta por Bob Brotchie da East Anglian Ambulance Service, uma ideia promovida em 2005 no Reino Unido pela Vodafone. Esta ideia viria a ser amplificada depois do atentado terrorista em Londres, nesse mesmo ano. Actualmente esta ideia começa a ganhar forma noutros países.

O que nos leva a Portugal, e a outra parte do texto que não faz parte da verdade.

Quem for a página do INEM pode encontrar a seguinte informação à respeito do número ICE:

"O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) tem recebido inúmeros pedidos de informação que confirmem a veracidade de um e-mail que circula no espaço cibernético. Nele, explica-se que os intervenientes do Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM) - sendo estes o INEM, os Bombeiros, a Polícia, os Hospitais, as Unidades de Saúde, entre outros - recomendam a inserção da sigla ICE (In Case of Emergency) na lista telefónica dos telemóveis, com o contacto da pessoa a comunicar em situações de emergência.

Efectivamente, desconhece o INEM este tipo de situação, pois não está padronizado um tipo de actuação para pessoas a contactar em caso de emergência. Essa tarefa cabe, inclusivamente, às autoridades policiais (PSP e GNR) e não aos serviços de emergência médica pré-hospitalar (bombeiros, Cruz Vermelha ou INEM)."

Ou seja o INEM nada tem a ver com o "lançamento" desta proposta, uma vez que o protocolo estabelece que serão sempre as autoridades a promover o contacto em caso de acidente. Não o INEM.

Nas páginas da PSP e da GNR nada consegui apurar sobre este assunto.

Não deixa de ser, no entanto, uma boa ideia...

O perigo dos poços

Estava a correr os olhos pela imprensa de hoje quando duas notícias me recordaram um alerta lançado há algum tempo no blogue da Maria Lascas: a questão dos poços a céu aberto como autênticas armadilhas traiçoeiras, em particular para as crianças.

No Diário de Notícias de hoje pode ler-se que tanques e poços são um perigo para crianças. Segundo os número até agora apurados para o ano de 2006, e que apenas abrangem os primeiros nove meses, verificou-se um registo de 17 mortes por afogamento, um dado indicado no site da Associação para a Protecção e Segurança Infantil (APSI), e que apenas se refere àqueles casos referidos na imprensa e o Instituo de Socorro a Náufragos.

No relatório 2005-2006 sobre afogamento de crianças 33% dos casos por afogamento, tanto em 2005 como em 2006, verificaram-se em poços, seguindo-se em segundo lugar os afogamentos em piscinas (25% em 2005 e 27% em 2006).

Destaca-se ainda deste relatório que a maior incidência destes acidentes verifica-se nas regiões Norte e Centro, e ocorrem em maior número entre os meses de Maio e Agosto.

Sobre os tanques e poços pode-se ler também que os acidentes têm "maior incidência em crianças dos 0 aos 4 anos (5), no Centro(3) e Madeira (3). Casos relacionados com o abandono e protecção deficiente do tanque e poço, situados em zonas rurais (a tampa que se partiu ou o muro que ruiu impossibilitando o salvamento), o que sugere a necessidade adicional de rever legislação e investir na fiscalização da protecção de tanques e poços"

O artigo do DN termina com um alerta, que deve ser também interpretado como uma crítica, atribuido a uma fonte do Comando Distrital da Protecção Civil de Viseu: "o desmazelo e a negligência de alguns proprietários" os quais "Não protegem os poços, deixa-nos rente ao chão e muitas vezes escondidos pela vegetação, criando armadilhas para quem ali passa."

sábado, 28 de julho de 2007

E já vai tarde...

Decisão unânime
José Couceiro demitido da Federação Portuguesa de Futebol


Também era o que faltava... depois de todos os disparates que tivemos a infelicidade de assistir, não se podia esperar outra coisa da FPF.

sexta-feira, 27 de julho de 2007

A "pequena" entrevista

A entrevista de Sócrates na quarta-feira passada, anunciada como "a" entrevista, aquela que ocorria a meio do mandato e que serviria para fazer um balanço governativo dos dois anos de maioria socialista, foi, sem qualquer margem de dúvida, um autêntico flop.

A intervenção do primeiro-ministro na SIC foi completamente vazia de conteúdo, nada trazendo de interessante ou sequer abonatório. O reflexo disso mesmo ficou expresso nas primeiras páginas dos jornais do dia seguinte. Nas primeiras páginas e não só! Mesmo vasculhando no interior dos jornais verifica-se que a entrevista do José Sócrates foi um autêntico não-acontecimento. O caso "Apito Dourado" capitalizou a atenção de todos os meios de comunicação, atirando a intervenção do primeiro ministro para lá de um segundo plano.

Quando assistimos a uma entrevista dita de "avaliação governativa", seria de esperar que todas as palavras de José Sócrates fossem dissecadas ao pormenor. Foi assim que eu vi acontecer sempre que um primeiro ministro português vinha à televisão, ou outro meio de comunicação, fazer uma intervenção de fundo. Claro que para isso é necessário que o discurso do entrevistado tenha algum "sumo".

Olhando para as reacções da comunicação social, só vimos destacada a polémica da aplicação da Lei da Interrupção Voluntária da Gravidez, ou lei do aborto, na região autónoma da Madeira, um assunto que tem suscitado alguma atenção, merecida, da comunicação social. Tirando isso? Mais nada. A entrevista de José Sócrates não teve mais nada. Foi mesmo um programa que custou caro à SIC em termos de audiência, espelho daquilo que o povo espera deste governo.

Dá vontade de dizer que quem tira o teleponto ao primeiro ministro, tira-lhe tudo. Sozinho, sem rede, numa entrevista, José Sócrates na quarta-feira mostrou que está longe de ser um one show man.

Claro que também podemos culpar o formato da entrevista: curta em tempo, com muitos assuntos a serem abordados que obrigaram a respostas, por vezes, telegráficas. Os moderadores "guinavam" bruscamente o comando da entrevista, mudando abruptamente de assunto.

Em todo caso, ao fim de dois anos de governo socialista, e em vésperas do primeiro ministro ir de férias, ficamos a saber que o nosso governo nada tem a dizer ao povo português sobre o nosso futuro imediato.

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Ele há coisas... (2)

Óscar, o gato que sabe quem vai morrer

«Num artigo publicado no prestigiado New England Journal of Medicine, o geriatra e professor universitário David Sosa explica como Óscar anuncia a morte iminente de um doente. Todos os dias, Óscar levanta-se da sua posição favorita e dá início a um passeio pelo 3º piso do centro de saúde. Quarto após quarto, o gatinho de dois anos de idade vai-se abeirando das camas, cheira os doentes e, de vez em quando, entrega a sua mensagem de morte: sobe para a cama, enrosca-se no corpo do doente e fica ao seu lado até ao último suspiro.

Este comportamento já foi verificado por mais de 25 vezes, segundo o professor da Universidade Brown, num testemunho corroborado pela sua colega Joan Teno.»

in
Publico online

"E agora, algo completamente diferente!"

Título do post que ilustra este cartoon publicado no Anterozóide.

Novos links

Cá vão mais alguns links recentemente acrescentados no blog Pontos Soltos:

Salvar Vidas - um blog onde "vão passar os acontecimentos, as fotos e as actividades desenvolvidas pelos Nadadores Salvadores da Praia da Vagueira/Praia Nova e Areão"

Bombeiros Voluntários de Vagos - uma instituição de referência no concelho de Vagos. O sítio dos BVV ainda tem algumas hiperligações a requererem alguma atenção

Clube MINInos - o clube vaguense dessa "mítica" viatura que é o Mini

terça-feira, 24 de julho de 2007

Nacimiento de "El Libertador"

E por falar em Venezuela e em Liberdade, hoje completam-se 224 anos sobre o nascimento de Simón José Antonio de la Santísima Trinidad Bolívar Palacios y Blanco, mais conhecido simplesmente por Simón Bolívar, líder dos movimentos independentistas que deram origem aos países da Venezuela, Bolívia, Peru, Colômbia, Equador e Panamá. Por isso é conhecido na América Latina como "El Libertador"

Quem disse que não há liberdade de expressão?!

E quem disser que não há liberdade de expressão será expulso!

Presidente da Venezuela ameaça expulsar quem o criticar


Imagem extraída do jornal El Pais

E por falar na Lei do Aborto...

...o governo regional da Madeira insiste na não aplicação da Lei do Aborto na Região Autónoma da Madeira até que o Tribunal Constitucional se pronuncie sobre a conformidade desta lei.

Ainda sobre a Lei do Aborto...

É precisamente contra este tipo de contradições que eu me insurjo quando se fala da Lei do Aborto. Antes de correr atrás desta lei deveriam ter sido tomadas muitas outras medidas que este governo teima em não fazer pela saúde em Portugal.

E não venham com a desculpa de que era uma promessa política: promessa por promessa, já faltaram a muitas e não me pareceram muito preocupados com isso.

Mulheres que querem fazer um aborto têm que ser atendidas em cinco dias, quando uma consulta de ginecologia pode demorar meses

sexta-feira, 20 de julho de 2007

O Inferno e o Paraíso

«Nesta vida, aprendi só um coisa: que o inferno e o paraíso não existem. Nós é que os levamos para todos os lugares que vamos»

Luther Blisset,
in "Q - O Espião do Vaticano" (Livro 1)

De facto Luther Blisset não existe. Ou dito de outra forma: o
escritor Luther Blisset não existe. Não passa de uma criação ou de um pseudónimo aberto e assumido por uma grande comunidade que vai de hackers a operadores culturais.

Este livro foi na realidade escrito entre 1996 e 1998 a "oito mãos" por um grupo bolonhês do denominado Luther Blisset Project que entretanto encerrou em 1999. Entretanto o quarteto de autores recebeu um novo membro e passaram-se a designar Wu Ming.

Finalmente este livro tem a particularidade de ter sido escrito ao abrigo do copyleft, ou seja, de livre divulgação. Está, por isso, actualmente disponível no sítio do Wu Ming.

Um livro (aliás dois!) que gira em torno da Reforma Protestante iniciada por Martinho Lutero e os anos de violência que se seguiram.

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Ainda há dúvidas? (2)

Neste momento o espírito que paira no ar é o espírito de São Tomé: ver para crer.

Governo apresenta sexta-feira candidatura a financiamento comunitário para novo aeroporto

«O Governo apresenta sexta-feira, em Bruxelas, a candidatura a um financiamento comunitário de 250 milhões de euros para o novo aeroporto de Lisboa, projectado para a Ota, disse hoje fonte oficial do Ministério das Obras Públicas.

(...)

"O projecto que será apresentado aponta para a construção do aeroporto na Ota, pois é o projecto que já foi entregue em Bruxelas e é o único para o qual temos [Governo] toda a documentação e estudos necessários", disse a mesma fonte, acrescentando que uma demora na entrega da candidatura poderia deixar Portugal "fora da corrida".

A eventual alteração da localização do futuro aeroporto, exigirá, segundo explicou, "readaptar e renegociar com Bruxelas o novo projecto".»

Vagos no Diário da República

Resolução do Conselho de Ministros

RCM 93/2007
Aprova a delimitação dos perímetros de protecção das captações de água subterrânea designadas por furo PS1, situada em Lavandeira, furo PS4, situada em Carvalhais e SL1 e PS5, situadas na Zona Florestal do Concelho de Vagos, todas no concelho de Vagos.

segunda-feira, 16 de julho de 2007

O Erro

"Se eu estivesse na posição de Paulo Portas, chegaria à conclusão de que foi um erro ter voltado."

Marcelo Rebelo de Sousa

Às gargalhadas

Quase que consigo imaginar o Ribeiro e Castro às gargalhadas...

Telmo Correia demite-se, Portas reflecte sobre liderança

Noite de perdedores

Das eleições intercalares para a Câmara Municipal de Lisboa (CML) podemos concluir que os partidos políticos foram os verdadeiros derrotados. Uma abstenção de quase 63% e a conquista de 5 vereadores por duas listas independentes são bem elucidativas da hecatombe sentida pelos aparelhos partidários no final da última noite eleitoral.

Para além deste aspecto generalizado, os partidos sentiram também a derrota de forma mais particularizada.

O PS é sem dúvida um dos grandes derrotados da noite. Apesar da conquista da presidência da Câmara Municipal de Lisboa, esta não deixa de ter um travo bastante amargo. Atendendo à fragilidade política que levou à queda da CML, o Partido Socialista não conseguiu extrair os dividendos políticos que lhe permitissem a tão almejada e exigida maioria absoluta. De facto, o resultado ficou muito aquém daquele ao que o PS certamente esperava conseguir, mesmo que aleguem que se trata do melhor resultado do PS em 31 anos na capital. Basta olhar um pouco para atrás e comparar o resultado do PS nas eleições legislativas de 2005, onde conseguiu 42,48% das intenções de voto, com o resultado da última noite: 29,54%. Uma derrota.

O PSD foi outro dos grandes derrotados. Ao "tirar o tapete" a agora ex-presidente Carmona Rodrigues abriu definitivamente as portas para as eleições intercalares. Fernando Negrão não conseguiu capitalizar o eleitorado que se manteve firme junto de independente Carmona, tendo ficado mesmo em terceiro lugar. A juntar a isto temos ainda o sentimento de responsabilização que foi dirigido contra PSD pela actual situação política da CML (afinal de contas, Carmona Rodrigues foi o candidato do PSD nas eleições anteriores) que, naturalmente, prejudico o resultado final nestas eleições intercalares. Hombridade não faltou a Marques Mendes para assumir o falhanço da estratégia eleitoral (ao contrário de Sócrates e António Costa que facilmente se contentaram com "trocos") tendo já antecipado eleições directas no partido, não sem anunciar que será também candidato. Um tira-teimas para avaliar se tem condições de política interna para se manter à frente do partido.

Profundamente derrotado nestas eleições foi indiscutivelmente o CDS/PP. Paulo Portas, que muita promessas fez de ser uma forte oposição ao governo socialista, tem demonstrado uma passividade quase mórbida. A tal oposição activa que tanto apregoou durante a sua campanha para eleição à presidência do partido não passou, para já, de canção para embalar os seus eleitores internos.

Telmo Correia foi um lamentável erro de casting. Pode ser um homem do aparelho partidário, mas não passa disso mesmo: um homem do aparelho. Telmo Correia não é decididamente pessoa com perfil para concorrer como cabeça de lista para umas eleições autárquicas. Numa eleição legislativa até pode encabeçar uma lista distrital, mas trata-se de um nome diluido num rol de nomes de onde apenas se destaca o candidato a Primeiro-Ministro. Os "miseráveis" 7258 votos amealhados, que lhe dão uma marca de 3,7% de intenções do voto, não permitiram ao CDS/PP de Paulo Portas eleger um único vereador. Nem um! Uma derrota quase vergonhosa para um partido que se diz querer ser mais interventivo. Trata-se de um resultado que coloca o CDS/PP atrás da CDU e do Bloco de Esquerda, este último tendo conseguido praticamente o dobro dos votos do CDS/PP.

A vitória está de facto do lado do Carmona Rodrigues e de Helena Roseta. Foram eles que, sem dúvida alguma, dispersaram os votos que tanto procuraram os aparelhos partidários, tendo conquistado 5 dos 17 vereadores possíveis, três para a lista do Carmona Rodrigues e dois para a lista de Helena Roseta.

A vitória da Helena Roseta tem ainda um sabor especial: é a segunda vez que Sócrates envereda pelo caminho do "eu é que sei", preterindo a candidatura de Helena Roseta pelo PS em favor da candidatura de António Costa. Foi assim com Manuel Alegre, para as eleições presidenciais, foi assim agora com a Helena Roseta, perdendo deste modo a possibilidade que foi servida de bandeja ao PS de conquistar a maioria absoluta na Câmara de Lisboa.

Três pequenos apontamentos ainda sobre a última noite eleitoral:

- A altivez de Manuel Maria Carrilho ao falar dos "próximos seis anos" de António Costa frente à Câmara Municipal de Lisboa;

- O descalabro da direita, nas palavras de Jorge Coelho, convencido ainda de que o PS é um partido de esquerda;

- A maneira como Sócrates surge junto dos candidatos "vencedores". Estranho que não tenha aparecido na Madeira aquando das últimas eleições regionais, onde o PS teve um dos seus piores resultados.

sexta-feira, 13 de julho de 2007

Não foi mau, foi péssimo!!

Quando se julgava que com o José Couceiro era impossível ser pior, eis que a selecção de sub-20 demonstra que é possível ainda descer mais baixo.

A selecção de futebol sub-20 é, desde esta madruga, alvo de chacota no mundo de futebol depois do insólito roubo do cartão vermelho ao árbitro, uma façanha realizada pelo Zequinha, faltavam menos de dois minutos para terminar o encontro e Portugal, imagine-se, perdia por uma bola frente ao Chile. Um resultado que infelizmente não surpreende ou não fosse esta mais uma equipa dirigida pelo José Couceiro.

Ficou mais do que demonstrado que Couceiro não é homem para dirigir as camadas adolescentes do nosso futebol. As equipas que dirigiu não tiveram nem brio, nem garra, mostrando-se antes nervosas e sem capacidade de resolver. Foi assim com a selecção sub-21 e foi assim com a selecção de sub-20. Se dúvidas há em relação à preparação mental dos jogadores basta ver o que aconteceu esta madrugada. Não basta pôr os rapazes a correr atrás de uma bola, é preciso mostrar-lhes também postura profissional, e isso não vimos no jogo contra o Chile.

Ontem disse que tinha um mau pressentimento, nunca pensei é que fosse tão mau para a imagem do nosso desporto e dos nossos desportistas.

A Grande Diferença entre Ditaduras e Democracias

«Acrescentou a seguir, já mais sóbrio, baixando a voz, que a grande diferença entre as ditaduras e as democracias está em que no primeiro sistema existe apenas uma verdade, a verdade imposta pelo poder, ao passo que nos países livres cada pessoa tem o direito de defender a sua própria versão dos acontecimentos. A verdade, disse, é uma superstição.»

José Eduardo Agualusa, in 'O Vendedor de Passados'

quinta-feira, 12 de julho de 2007

A Epopeia dos Patos de Borracha

Há notícias que de facto se destacam pelo insólito. Esta é mais uma: 29 mil patinhos amarelos de borracha - sim! patinhos de borracha! - estão há 15 anos a deriva no oceano e, segundo os oceanógrafos, irão agora dar à costa inglesa e também provavelmente à costa portuguesa.

Fala-se de uma epopeia de 27 mil quilómetros, tendo alguns destes patos ficado retidos no gelo do Ártico. O facto de alguns terem já dado à costa leste dos EUA leva os cientistas a crer que ainda este verão aparecerão na costa inglesa. Mas atenção: não há certezas de nada! As previsões são baseadas em previsões computacionais e parte do princípio que os patos de borracha resistiram até hoje, o que é muito provável atendendo às características da borracha.

Para além do insólito, sem bem que não se trata de um caso único, trata-se de uma situação que tem ainda duas vertentes importantes: mais uma chamada de alerta para as questões de poluição ambiental e uma oportunidade para o estudo das correntes marítimas e validação de modelos matemáticos.

Mais sobre esta notícia aqui, aqui, aqui e aqui.

Entretanto estejam de olhos atentos sobre o Atlântico.

Porque será...

...que eu estou com um mau pressentimento?

Portugal decide com o Chile o acesso aos quartos-de-final

«Para chegar à fase de eliminatórias, a equipa orientada por José Couceiro classificou-se em terceiro lugar do Grupo C (uma vitória e duas derrotas), tendo sido uma das selecções "respescadas" para seguir em frente no torneio. Já o seu adversário de hoje ainda não perdeu, somando até ao momento duas vitórias e um empate, sem qualquer golo sofrido.»

Mudar de opinião

«Sou um mero espectador da vida, que não tenta explicá-la. Não afirmo nem nego. Há muito que fujo de julgar os homens, e, a cada hora que passa, a vida me parece ou muito complicada e misteriosa ou muito simples e profunda. Não aprendo até morrer - desaprendo até morrer. Não sei nada, não sei nada, e saio deste mundo com a convicção de que não é a razão nem a verdade que nos guiam: só a paixão e a quimera nos levam a resoluções definitivas.

O papel dos doidos é de primeira importância neste triste planeta, embora depois os outros tentem corrigi-lo e canalizá-lo... Também entendo que é tão difícil asseverar a exactidão dum facto como julgar um homem com justiça.

Todos os dias mudamos de opinião. Todos os dias somos empurrados para léguas de distância por uma coisa frenética, que nos leva não sei para onde. Sucede sempre que, passados meses sobre o que escrevo - eu próprio duvido e hesito. Sinto que não me pertenço...
É por isso que não condeno nem explico nada, e fujo até de descer dentro de mim próprio, para não reconhecer com espanto que sou absurdo - para não ter de discriminar até que ponto creio ou não creio, e de verificar o que me pertence e o que pertence aos mortos. De resto isto de ter opiniões não é fácil. Sempre que me dei a esse luxo, fui forçado a reconhecer que eram falsas ou erróneas.»

Raul Brandão, in "Memórias"

terça-feira, 10 de julho de 2007

Let's Come Together

A União Europeia recentemente colocou no YouTube um vídeo promocional do Programa MEDIA, um programa de apoio à indústria audiovisual europeia. Este vídeo, com o título Let's Come Together, tem despertado uma acesa discussão dado o seu teor fortemente sexual.

Polémicas a parte, este vídeo faz-me lembrar uma das cenas mais engraçadas do filme Delicatessen, que recomendo vivamente (re)visitar.

Criações do Homem

«A religião havia sido criada pelo homem, tal como o próprio Deus. Na sua opinião, era a política, e não a fé, que explicava tudo. Que melhor maneira de controlar as massas do que aterrá-las com a ira de um ser omnipotente? Era preferível confiar em si própria, acreditar nas suas capacidades e moldar o seu destino neste mundo. A oração era para os fracos e os indolentes. Ela não precisava disso»

Steve Berry, in "O Terceiro Segredo"

Medo de apupos? Eu?!

"Um político tem de saber viver com os apupos e com os aplausos. Eu já fui muitas vezes aplaudido e o contrário. Não tenho receio"

Palavras de José Sócrates, Primeiro Ministro português, na cerimónia reservada (leia-se, sem populares) de inauguração da Ponte das Lezírias no domingo passado.

Estranhas palavras para quem não utilizou a entrada principal da Casa da Música do Porto no dia do concerto que marcava o início da Presidência Portuguesa da União Europeia, evitando assim os populares que se encontravam a apupar os membros do governo.

quarta-feira, 4 de julho de 2007

Lei e Amizade

«Nisto de Jurisprudência diziam os antigos que a lei é para os inimigos e a amizade para nósoutros, e só deus sabe até onde é que um princípio destes pode levar»


José Cardoso Pires, in "Balada da Praia dos Cães"

terça-feira, 3 de julho de 2007

Pontos Soltos na blogosfera

Pontos soltos passou a constar da lista de "profanadores" do blog O Profano

Russians

A grande teimosia do George Bush referente à instalação de um sistema anti-mísseis em território europeu, em particular em países que antes estiveram sob domínio da antiga União Soviética, tem tido uma oposição cerrada por parte do presidente russo.

Há quem já fale num regresso a guerra fria. Eu acredito mais num braço de ferro entre uma América cada vez mais desejosa em controlar as estratégicas reservas de energia da região e uma Rússia que quer mostrar ao mundo que ainda manda na região que já foi da sua influência. Claro que se trata de um braço de ferro que, se for levado ao extremo, poderá degenerar num clima internacional mais delicado.

Mesmo com esta visão mais optimista da política internacional, o certo é que nestes dias tenho tido mais presente a música "Russians" de Sting. E as eleições americanas que nunca mais acontecem...

Russians

In Europe and America, there's a growing feeling of hysteria
Conditioned to respond to all the threats
In the rhetorical speeches of the Soviets
Mr. Krushchev said we will bury you
I don't subscribe to this point of view
It would be such an ignorant thing to do
If the Russians love their children too

How can I save my little boy from Oppenheimer's deadly toy
There is no monopoly in common sense
On either side of the political fence
We share the same biology
Regardless of ideology
Believe me when I say to you
I hope the Russians love their children too

There is no historical precedent
To put the words in the mouth of the President
There's no such thing as a winnable war
It's a lie that we don't believe anymore
Mr. Reagan says we will protect you
I don't subscribe to this point of view
Believe me when I say to you
I hope the Russians love their children too

We share the same biology
Regardless of ideology
What might save us, me, and you
Is if the Russians love their children too

segunda-feira, 2 de julho de 2007

Pontos Soltos no Público

O blog Pontos Soltos fez hoje parte da secção "Blogs em Papel" do Caderno P2 do Público. O assunto em destaque era o primeiro dia da presidência portuguesa da União Europeia, tendo sido citado o post "A Presidência Portuguesa da UE", publicado no passado 1 de Julho.

Falta de Coragem

Foi assim que a Presidência Portuguesa da União Europeia começou: com uma manifestação de grande falta de coragem e um simples virar de costas às vicissitudes impostas por uma manifestação às portas da Casa da Música, no Porto, na altura em que entrava a comitiva e demais convidados que iam assistir ao concerto que marcou o início da presidência lusa.

Os convidados foram brindados com uma recepção barulhenta, com muitos apupos à mistura, que eram particularmente dirigidos aos governantes portugueses. Praticamente todos os convidados entraram pela porta principal da Casa da Música. Sabem qual foi a personalidade que fez parte do pequeníssimo leque de individualidades que "fugiram" da porta principal? Exactamente, o nosso Primeiro Ministro José Sócrates.

Se Sócrates for tratar dos problemas da UE como enfrenta os problemas da casa, vem podem esperar sentados os restantes membros europeus pelo início da próxima presidência.

domingo, 1 de julho de 2007

A Presidência Portuguesa da UE

Começa hoje a Presidência Portuguesa da União Europeia. Não sei se será motivo para festejar ou para lamentar. Infelizmente na anterior presidência portuguesa, na altura com o Eng. António Guterres (esse sim, parece que não havia dúvidas quanto ao grau académico), Portugal foi colocado em espera. Foi como se o governo na altura nos tivesse dito a todos "espere por favor enquanto transfiro a chamada", e ficamos todos à espera enquanto ouvíamos a música - música não, ruído - de fundo oriundo das inúmeras reuniões, encontros e outros que tais para os quais o Primeiro Ministro de então se desdobrou. O país ficou a assistir ao incansável esforço do nosso governante em resolver os problemas colocados pela agenda europeia, ao mesmo tempo que a agenda portuguesa tinha ficado debaixo de uma pilha de papéis timbrados com as estrelas da UE.

Os problemas colocados a esta nova Presidência Portuguesa, em particular o tão badalado Tratado da União, irão certamente exigir um grande esforço político. Será que o país irá ficar novamente em banho-maria? A Ota é um exemplo disso mesmo: para evitar chatices durante a Presidência Portuguesa adia-se o problema por seis meses - o tempo que durá o mandato - enquanto se espera por mais um estudo. Deixo de lado outras considerações de estratégia política que este adiamento implica.

A Presidência Portuguesa poderá ser bem sucedida ou não, poderá marcar um passo importante para a UE dependendo da forma como o dossiê "Tratado Europeu" for conduzido. Mas será que o preço que Portugal irá pagar em termos de política e gestão interna justifica?

Prognósticos só no final do jogo...