segunda-feira, 30 de julho de 2007

ICE - In Case of Emergency (Em Caso de Emergência)

Recebi hoje um e-mail com o seguinte conteúdo que gostaria de partilhar:

"Os bombeiros e o INEM deram-se conta que muitas vezes, nos acidentes rodoviários, os feridos trazem consigo um telemóvel. No entanto, na hora de intervirem, não se sabe a quem contactar da lista interminável de números. Lançam-nos por isso a ideia de que toda a gente acrescente na sua agenda o telefone da pessoa à qual contactar em caso de urgência sob o mesmo nome. O nome internacional é ICE (= In Case of Emergency). Com este número inscreveremos a pessoa com a qual deverão contactar os bombeiros, polícias, INEM, protecção civil...

Quando houver várias opções poderemos assinalá-las como ICE1, ICE2, ICE3, etc. É simples, não custa nada e pode ajudar-nos muito!

Se vos parece uma boa ideia, passem esta mensagem ao maior número de pessoas."

Olhando para este texto fica-se com a ideia de que se trata de mais um mito urbano, mais uma daquelas histórias veiculadas por correio electrónico e sem qualquer tipo de fundamento.

Na realidade esta mensagem é uma meia verdade.

De facto, o conceito de um número ICE existe e surgiu no Reino Unido no ano de 2004 e foi proposta por Bob Brotchie da East Anglian Ambulance Service, uma ideia promovida em 2005 no Reino Unido pela Vodafone. Esta ideia viria a ser amplificada depois do atentado terrorista em Londres, nesse mesmo ano. Actualmente esta ideia começa a ganhar forma noutros países.

O que nos leva a Portugal, e a outra parte do texto que não faz parte da verdade.

Quem for a página do INEM pode encontrar a seguinte informação à respeito do número ICE:

"O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) tem recebido inúmeros pedidos de informação que confirmem a veracidade de um e-mail que circula no espaço cibernético. Nele, explica-se que os intervenientes do Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM) - sendo estes o INEM, os Bombeiros, a Polícia, os Hospitais, as Unidades de Saúde, entre outros - recomendam a inserção da sigla ICE (In Case of Emergency) na lista telefónica dos telemóveis, com o contacto da pessoa a comunicar em situações de emergência.

Efectivamente, desconhece o INEM este tipo de situação, pois não está padronizado um tipo de actuação para pessoas a contactar em caso de emergência. Essa tarefa cabe, inclusivamente, às autoridades policiais (PSP e GNR) e não aos serviços de emergência médica pré-hospitalar (bombeiros, Cruz Vermelha ou INEM)."

Ou seja o INEM nada tem a ver com o "lançamento" desta proposta, uma vez que o protocolo estabelece que serão sempre as autoridades a promover o contacto em caso de acidente. Não o INEM.

Nas páginas da PSP e da GNR nada consegui apurar sobre este assunto.

Não deixa de ser, no entanto, uma boa ideia...

Sem comentários: