segunda-feira, 30 de julho de 2007

O perigo dos poços

Estava a correr os olhos pela imprensa de hoje quando duas notícias me recordaram um alerta lançado há algum tempo no blogue da Maria Lascas: a questão dos poços a céu aberto como autênticas armadilhas traiçoeiras, em particular para as crianças.

No Diário de Notícias de hoje pode ler-se que tanques e poços são um perigo para crianças. Segundo os número até agora apurados para o ano de 2006, e que apenas abrangem os primeiros nove meses, verificou-se um registo de 17 mortes por afogamento, um dado indicado no site da Associação para a Protecção e Segurança Infantil (APSI), e que apenas se refere àqueles casos referidos na imprensa e o Instituo de Socorro a Náufragos.

No relatório 2005-2006 sobre afogamento de crianças 33% dos casos por afogamento, tanto em 2005 como em 2006, verificaram-se em poços, seguindo-se em segundo lugar os afogamentos em piscinas (25% em 2005 e 27% em 2006).

Destaca-se ainda deste relatório que a maior incidência destes acidentes verifica-se nas regiões Norte e Centro, e ocorrem em maior número entre os meses de Maio e Agosto.

Sobre os tanques e poços pode-se ler também que os acidentes têm "maior incidência em crianças dos 0 aos 4 anos (5), no Centro(3) e Madeira (3). Casos relacionados com o abandono e protecção deficiente do tanque e poço, situados em zonas rurais (a tampa que se partiu ou o muro que ruiu impossibilitando o salvamento), o que sugere a necessidade adicional de rever legislação e investir na fiscalização da protecção de tanques e poços"

O artigo do DN termina com um alerta, que deve ser também interpretado como uma crítica, atribuido a uma fonte do Comando Distrital da Protecção Civil de Viseu: "o desmazelo e a negligência de alguns proprietários" os quais "Não protegem os poços, deixa-nos rente ao chão e muitas vezes escondidos pela vegetação, criando armadilhas para quem ali passa."

1 comentário:

marialascas disse...

Ainda bem que o sensibilizou o meu texto sobre os poços... Mas o que realmente era importante era conseguir sensibilizar quem os possui... Eu até me surpreendo como é que não há mais acidentes com tantas situações que verifico... E a propósito marialascas.blogspot.com renasceu.
Maria