terça-feira, 3 de julho de 2007

Russians

A grande teimosia do George Bush referente à instalação de um sistema anti-mísseis em território europeu, em particular em países que antes estiveram sob domínio da antiga União Soviética, tem tido uma oposição cerrada por parte do presidente russo.

Há quem já fale num regresso a guerra fria. Eu acredito mais num braço de ferro entre uma América cada vez mais desejosa em controlar as estratégicas reservas de energia da região e uma Rússia que quer mostrar ao mundo que ainda manda na região que já foi da sua influência. Claro que se trata de um braço de ferro que, se for levado ao extremo, poderá degenerar num clima internacional mais delicado.

Mesmo com esta visão mais optimista da política internacional, o certo é que nestes dias tenho tido mais presente a música "Russians" de Sting. E as eleições americanas que nunca mais acontecem...

Russians

In Europe and America, there's a growing feeling of hysteria
Conditioned to respond to all the threats
In the rhetorical speeches of the Soviets
Mr. Krushchev said we will bury you
I don't subscribe to this point of view
It would be such an ignorant thing to do
If the Russians love their children too

How can I save my little boy from Oppenheimer's deadly toy
There is no monopoly in common sense
On either side of the political fence
We share the same biology
Regardless of ideology
Believe me when I say to you
I hope the Russians love their children too

There is no historical precedent
To put the words in the mouth of the President
There's no such thing as a winnable war
It's a lie that we don't believe anymore
Mr. Reagan says we will protect you
I don't subscribe to this point of view
Believe me when I say to you
I hope the Russians love their children too

We share the same biology
Regardless of ideology
What might save us, me, and you
Is if the Russians love their children too

Sem comentários: