sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Corno?!

Louvar um "competente corno"?!

É tramado como do advérbio "como" se passa para o substantivo "corno", e logo no Diário da República...

O que é interessante de observar é que não foi a letra "m" que ficou ma impressa, foram introduzidos dois carácteres "rn" (parece-se com o "m", não é?)

Será que anda alguém a brincar no Diário da República?

Via O Jumento

2009 ou 2013?

Confesso que não sou grande apreciador do Correio da Manhã, mas este Bilhete Postal de Carlos de Abreu de Amorim vale a pena ler.

Ah! Para quem possa estar interessado: as urnas abrem às 18h00 (ou seja já abriram!) e fecham às 23h00. Resultados em primeira mão apenas para os noctívagos.

2009 ou 2013?

Essa é a grande questão a que hoje os militantes do PSD terão de responder. Pelo menos aqueles que ainda não se enojaram com a ópera bufa dos últimos dias. É evidente que Marques Mendes foi lançado porque o PSD desistiu de tentar ganhar em 2009. Mendes simboliza a confissão da derrota antecipada nas próximas Legislativas por falta de material de comparência – contra Mendes, em 2009, Sócrates nem precisa de fazer campanha eleitoral.

Pode até deixar à solta ministros como Lino, Pinho ou aquele senhor que está na pasta da Justiça. Mendes foi cooptado pelos barões do aparelho (d’aquém e de d’além-mar e da Amazónia também, pelos vistos) para fazer de feitor do PSD até à chegada de alguém ‘a sério’, só para 2013.

A candidatura de Menezes tem defeitos. Mas com ele a líder laranja, o Governo de Sócrates nunca mais terá a podre paz em que estamos. E tudo estará em aberto para 2009.

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Ah, é? Então com licença e até logo!


Desde a sua saída do Chelsea que Mourinho tem feito a delícia da comunicação social, a qual faz questão de não o deixar em paz, apesar de ele ter já dito que pretende passar algum tempo de qualidade com a família (bem, com a indemnização que ele recebeu até eu conseguia passar um bom tempo de qualidade!).

O facto de ele simplesmente ter chegado ao país foi motivo para interromper uma entrevista que estava a ser feita ao Santana Lopes na SIC Notícias, na qual estava a ser feita uma análise política à actual situação vivida do PSD.

No "regresso ao estúdio", e ao ser novamente interpelado pela jornalista para continuar a entrevista, Santana Lopes não só se indignou pelo sucedido como ainda se recusou a continuar a entrevista. "Acho que o país está doido", uma frase do Santana Lopes, proferida durante este episódio, e que encerra de forma simples a forma como por vezes a informação é conduzida no nosso país.

Sinceramente, e independentemente de Mourinho ser ou não uma personalidade do nosso país, não deixe de ser um simples treinador de futebol. Sim, é verdade, ele conseguiu uma série de proezas desportivas, mas não deixa de ser um treinador de futebol. O futuro de nosso país não depende dos sucessos desportivos do Chelsea, do Porto, da Selecção Nacional, seja em futebol, seja a jogar ao berlinde.

É certo que a discussão na altura era referente à vida interna de um partido, mas de um partido que faz parte do arco governativo e que se reflecte no nosso panorama sócio-político, com todas as repercussões que se estendem ao nosso dia-a-dia, a bem ou a mal.

Este exemplo de "prioridade de informação" acaba por ser uma imagem do desinteresse nacional sobre a vida político-partidária a que o país esta devotado. As pessoas interessam-se mais por "pão e circo", preferindo abstrair-se da realidade concreta para mergulhar num mundo de distracções.

Mas será que a culpa é exclusivamente da comunicação social? Não, obviamente que não. Parte desta responsabilidade recai também sobre as estruturas governativas e partidárias que também não têm ajudado a credibilizar a política - e não me referio apenas à política nacional. Tem faltado aos nossos políticos - e nisso o actual governo não tem ajudado em nada - uma postura mais vertical, de princípio, que transmita uma imagem de responsabilidade que as pessoas actualmente têm dificuldades em ver.

Santana Lopes, neste episódio, demonstrou uma postura que eventualmente todos nós gostaríamos de ver mais vezes, uma imagem de insubmissão perante os interesses - ou lóbis - de terceiros.

Esta postura de Santana Lopes peca por tardia...

Minha Nossa Senhora!!

«Milagre» em Fátima: FC Porto afastado à primeira da Taça da Liga

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Gastar para pagar menos?!

Parece ridículo e contraditório mas foi, por outras palavras, o que o presidente da Galp afirmou. Esta mente brilhante da economia, que há bem pouco dias reclamava de barriga cheia, a pedir pelas alminhas para que o governo baixasse o imposto sobre os produtos petrolíferos, teve a lata de afirmar que os «combustíveis até são baratos se contarmos com descontos». Por outras palavras, gastem muito em compras para depois ter descontos em combustível, desta forma os combustíveis até ficam mais baratos que em Espanha.

Simples! As gasolineiras e os hipermercados enchem os bolsos e os portugueses continuam sobre-endividados.

Life as usual
.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Nas pegadas de Fidel

Parece que isto de ser ditador num país latino-americano pode ser bastante prejudicial para a voz, em particular, se olharmos para o tempo que eles despendem a falar em directo para a população. Pelo menos assim foi com Fidel Castro, se bem que agora mais debilitado, não passando de uma "miserável" horita a falar, e é-o agora com o Chávez.

Isto a respeito da "telemaratona" do presidente venezuelano: o seu último programa Aló, presidente durou nada mais do que oito horas, superando a sua marca de 7 horas e 46 minutos de Agosto passado («Guiness aqui vou eu!»). Durante esse tempo ele falou, cantou e até declamou um poema, num programa em que o público que assiste em directo, incluindo ministros e outras figuras do estado, têm que estar perfeitamente atentos aos desvairos presidenciais (o jornal online El Pais é mais "meigo", falando em reflexões presidenciais) porque eles podem ser inquiridos a qualquer momento, tipo professor quando pretende apanhar um aluno cábula distraído na aula.

Nada como pão e circo para apaziguar o povo.

Via A Origem das Espécies

O Silêncio

«O silêncio é a mais perfeita expressão do desprezo»

George Bernard Shaw

domingo, 23 de setembro de 2007

Um ano de "Dupla Personalidade"

Pois é, só agora é que reparei que a "Dupla Personalidade" da Joana faz hoje um ano. São 244 tiras a uma média, segundo a autora, de 0,7 tiras por dia (sinceramente eu gostava de ver como é que fica 70% de um tira. Sem texto? Os bonecos não tem cabeça? E ao fim de dois dias? Uma tira e mais 0,4 de outra? Estranho... :-)).

Um blog que eu recomendo vivamente a visitar.

Muitos Parabéns!!

O Cerco do Poder

Fica-se com a sensação de que está cada vez mais fechado o cerco do poder, sendo este depositado quase exclusivamente nas mãos de uma única pessoa...

Governo vai reduzir poder do PGR e da PJ

O procurador-geral da República (PGR) vai ficar sem autonomia para atribuir a uma determinada polícia uma investigação criminal.

É o que resulta da proposta de Lei da Organização da Investigação Criminal (LOIC) que o Governo está a preparar para levar à Assembleia da República (AR). Este futuro diploma vai obrigar a que o PGR, antes de tomar uma decisão daquele teor, consulte sempre o secretário--geral do Sistema Integrado de Segurança Interna (SISI), que depende do primeiro-ministro.

Mais, de acordo com o projecto a que o DN teve acesso, também o secretário-geral, de nomeação política e com poderes equiparados aos de secretário de Estado, pode solicitar ao PGR que a investigação de um crime seja retirada a uma polícia para ser entregue a uma outra

Desconfiem

"Desconfiem dos homens religiosos, dos seus discursos consoladores e melosos que escondem na realidade uma sede insaciável de poder"

Shafique Keshavjee, in "O Rei, o Sábio e o Bobo"

sábado, 22 de setembro de 2007

"Acordo Histórico"

Sempre que ouço falar em mais um acordo histórico para combater as alterações climáticas fico de pé atrás: começo a ser da opinião que estes não passam de meras declarações de intenções que os governos de vários países assinam em conjunto, tiram umas fotografias para emoldurar, mas, na altura de implementar realmente as medidas necessárias para que os objectivos traçados no dito "acordo histórico" possam ser atingidos, surgem sempre todo um conjunto de problemas e/ou influências (eventualmente mais influências do que problemas) que acabam por deitar por terra toda aquela "vontade mundial" de alterar o rumo das coisas.

Isto a propósito do "acordo histórico", assinado por quase duzentos países, para proteger a camada do ozono. Neste acordo, assinado em Montreal, pretende-se antecipar a data para a suspender e eliminar a utilização dos hidroclorofluorcarbonetos, ou HCFC, uma substância considerada como sendo nociva para a camada do ozono, e que foi adoptada em substituição dos famosos CFC, banidos por serem fortemente destruidores da camada do ozono.

Apesar de todas as declarações de boas intenções habituais nestas alturas, o certo é que os governos deste mundo, contando com algumas excepções (Que raio! Nem todos podiam ser maus!), na altura de mostrar verdadeiramente um pulso forte, nos desiludem.

Quioto é aquilo que se sabe: estivemos anos a fio à espera de que o tratado fosse ratificado, esteve por um fio quando a Rússia demonstrou reticências, e no final os EUA, devida à política militar e de apoio à indústria americana no matter what de George Bush, decide colocar-se à margem. Assim um dos países mais poluidores do mundo decide colocar-se fora do Tratado de Quioto "e os outros que se lixem".

Em relação às metas de Quioto, dentro dos países aderente, as coisas também não correm bem. Por exemplo, Espanha e Portugal estão longe de atingir as metas estabelecidas por falta de "trabalho de casa".

Livro Verde da UE para as Energias Renováveis: outro possível fiasco, com muitos dos países da UE atrasados nas metas estabelecidas para a produção sustentada de energia com recurso a fontes renováveis.

Neste tipo de "promessas" temos que partir do princípio que são todos culpados até prova em contrário. Se não não se arregaçar verdadeiramente as mangas, este acordo não passará de mais uma pilha de papel que servirá para discutir no futuro o que terá falhado, tal como tem vindo a acontecer com outros acordos congéneres.

Até lá, o nosso mundo continua a ser maltratado...

"Pense na sua saúde"

Esta é uma das últimas postagens do Anterozóide, um blog que visito com bastante regularidade e que (re)trata com bastante acutilância e humor o que de pior se faz na política educativa deste país.

A visitar.

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Jogo de Cintura

Sim senhor! Um autêntico Jogo de Cintura do nosso Primeiro, hoje, na Assembleia da República, no debate mensal.

Para quem ouviu hoje na TSF foi, de facto, lamentável a prestação do nosso Primeiro.

Claro que é uma democracia!!

Soares embaixador do petróleo em Caracas
Mário Soares terá aproveitado as suas boas relações pessoais com o Governo de Hugo Chávez e o ministro dos Petróleos da Venezuela para ajudar a abrir portas às conversas entre a Galp Energia e a Petróleos da Venezuela (PDVSA) para uma parceria estratégica na área do petróleo e do gás.

Para quem diz que a Venezuela é uma democracia, já nada me espante deste homem...

Velha pergunta - nova resposta

- Mamã, donde vêm os bebés?

- Das ambulâncias, meu filho…

Com o devido crédito ao blog O Coiso

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Middle West

also called Midwest, or North Central States, region, northern and central United States, lying midway between the Appalachian and Rocky mountains and north of the Ohio River and the 37th parallel. The Middle West, as defined by the federal government, comprises the states of Illinois, Indiana, Iowa, Kansas, Michigan, Minnesota, Missouri, Nebraska, North Dakota, Ohio, South Dakota, and Wisconsin.

in Encyclopædia Britannica online

Aaahhh! Então é aí que há problemas!!

"Alguém me arranje uma Rosa dos Ventos, por favor"

Ou "O Mundo segundo Sócrates"

O nosso primeiro ministro decididamente não se deixou ficar atrás das já mui famosas gaffes do Presidente Bush e - pimba - os serviços da Casa Branca não perdoaram a oportunidade de mostrar que não é só o Presidente Americano a "meter argoladas".

Na transcrição do encontro de José Sócrates com George W. Bush na Sala Oval, publicada na página da Casa Branca, podemos, a dada altura, ler:

"And thank you also for the opportunity to discuss some of our more delicate matters in the international agenda, mainly the question of Kosovo and the Middle West [sic] problem" (o destaque é da minha responsabilidade)

Viram o [sic]? Não, não é nenhuma referência a um canal privado de televisão, é uma palavra em latim que os serviços da Casa Branca tiveram todo o cuidado de introduzir. Segundo o dicionário Houaiss esta palavra, quando usada entre parênteses, se intercala numa citação ou se pospõe a esta para indicar que o texto original está reproduzido exactamente, por errado ou estranho que possa parecer.

Por outras palavras, o nosso primeiro ministro lá cometeu o erro de trocar o Médio Oriente (Middle East) por Médio Ocidente (ou Médio Oeste, como preferirem - já agora, alguém sabe se isto fica antes do Far West?).

Tudo se torna ainda mais interessante quando percebemos que há uma pequena passagem "inaudível" - «I had the opportunity to tell the President how Europe can see with good (inaudible) the declaration on Middle East of President Bush» - que é como quem diz, não perceberam o(s) termo(s) utilizado(s) por José Sócrates. Será consequência da prova de Inglês Técnico ter tido apenas uma componente escrita?

(Esta gaffe foi destacada no Corta-Fitas, via Glória Fácil...)

A minha vida (continua) de pernas para o ar

Proposta de Teixeira Duarte abre novo confronto no BCP

O Banco Comercial Português (BCP) prepara-se para voltar a viver dias agitados, à semelhança do que aconteceu recentemente. A proposta de alteração do modelo de governação do banco, negociada entre Pedro Teixeira Duarte e alguns dos principais accionistas do BCP, não colhe a unanimidade dentro da instituição e muito menos no seio do conselho geral e de supervisão (CGS). As divisões estão agora instaladas entre os apoiantes de Jardim Gonçalves.

Não se vê...

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Assim começa "O Malhadinhas"

"Quando comecei a pôr vulto na mundo, meus fidalgos, era a porca da vida outra droga. Todas as semanas contavam dias de guarda e, porcada dia de guarda, armava-se o saricoté nos terreiros. Não andaria Nosso Senhor de terra em terra - eu cá nunca me avistei com ele - mas a verdade é que a neve vinha com os Santos e as cerejas quando largam do ovo os perdigotos. Bebia-se o briol por canadões de pau até que bonda. Um homem mesmo com os dias cheios tinha pena de morrer.

Não tenho cataratas nos olhos, ainda que me hajam rodado sobre o cadáver quase dois carros de anos, mas os dias de hoje não os conheço. Ponho-me a cismar e não os conheço. E, quanto mais cismo, mais dou razão ao Miguelão da Cabeça da Ponte, que falava como um livro aberto, o grande bruxo. Muitas vezes lhe ouvi dizer quando estava de boa lua, o que nem sempre sucedia:

- Tempos virão em que o governarão as terras vãs e os filhos das barregãs"


Aquilino Ribeiro, in "O Malhadinhas"

Cavaco considera Aquilino um dos “grandes prosadores” da literatura portuguesa

Computadores para aquecer as escolas

Sinceramente gostaria de saber qual seria o discurso do primeiro-ministro se se encontrasse na oposição...

Ministério da Educação acusa Deco de usar escolas para se autopromover

Infelizmente já é quase um lugar comum a problemática da climatização das salas de aulas. Eu particularmente tenho conhecimento de como é o Jardim de Infância e a Escola Primária na localidade onde eu moro: frias, muito frias no inverno. Sobre esta questão não há ano em que não haja uma reportagem televisiva onde seja recalcado a questão do frio nas salas de aulas, em particular nas localidades do interior. A DECO só veio mais uma vez evidenciar este problema que aflige muitas escolas, muitos alunos, muitos professores e muitos encarregados de educação.

Mas como sempre, e conforme este executivo nos tem habituado, a culpa é sempre de uma orquestração contra o governo pseudo-socialista que diz que nos está a governar.

Sejamos pragmáticos, este é um problema que tem sido transversal a todos os governos. Não é de exclusiva responsabilidade deste. O que me impressiona foi a velocidade com que o Ministério da Educação sacudiu a água do capote para rapidamente acusar os outros de auto-promoção a custa de um problema que não se coloca e que, naturalmente, não precisa de solução. Não há problema, logo não é necessária uma solução.

O que é mesmo importante são computadores nas escolas. Mas não se esqueçam de colocar muitos: sempre se consegue algum aquecimento com o calor dissipado pelos computadores.

terça-feira, 18 de setembro de 2007

O que os outros exigem de nós

"O que os outros exigem de nós, entende, é que os não ponhamos em causa, não sacudamos as suas vidas miniaturais calafetadas contra o desespero e a esperança, não quebremos os seus aquários de peixes surdos a flutuarem na água limosa do dia-a-dia, aclarada de viés pela lâmpada sonolenta do que chamamos virtude e que consiste apenas, se observada de perto, na ausência morna de ambições"

António Lobo Antunes, in "Os Cus de Judas"

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Mas que ideia! (actualizado)

Sinceramente não sei onde é que a malta da direita vais buscar essas ideias...

José Sócrates acusa a direita de fomentar sem razão a insegurança

Mais de uma centena de reclusos já foram libertados ao abrigo da nova lei penal

Assaltos a bancos: Cinco vezes mais casos no Porto

Um banco assaltado em Portugal em cada 60 horas

Miranda do Corvo: Assaltantes roubam pistola da Câmara

Catequese?

"- Vi-o colar três vezes a cauda no burro - disse eu - Como é que conseguiu?

- Da única maneira possível. Fiz batota. É muito fácil enganar os miúdos. Eles gostam. Contam que um padre proceda assim e eu não os desapontei. Faz parte do grande jogo da sedução... Sempre fomos assim, como sabe. Pegamos numa mente jovem - disse ele, sorrindo, mantendo o rodado nos sulcos gelados, com a neve caindo à luz dos faróis - e seduzimo-la. É nossa para sempre."

Thomas Gifford, in "Assassini"

sábado, 15 de setembro de 2007

É Normal?!

"É bom frisar que não se tratava de uma ambulância normal, mas sim uma ambulância privada, que normalmente não faz urgências, pelo que é normal que a BT a tenha mandado parar".

Este é um dos argumentos que o Tenente-Coronel Costa Cabral, Relações Públicas da GNR, apresentou, em parte, para justificar a detenção da ambulância privada que seguia em marcha de urgência na A28 transportando um homem que manifestava sintomas de enfarte. Esta pessoa viria a falecer pouco depois de ter dado entrada na unidades hospitalar.

O que me espanta é o facto de ser considerado normal parar uma ambulância que indicava marcha de urgência. Ora urgente, no dicionário Houaiss, é definido como "necessário ser atendido ou feito com rapidez; que não pode ser retardado". Posto isto, se a ambulância seguia com a marcha de urgência sinalizada, ainda consigo admitir que esta tenha sido mandada parar para obter um esclarecimento da situação. Eu não acredito que a autoridade não tivesse sido informada da situação, não acredito que não se tivesse dito à autoridade que estava a ser transportado um homem com sinais de enfarte, e muito menos consigo compreender que, e segundo o relato de um familiar, tivessem sido pedidos os documentos, se tivessem feito dois testes de alcoolemia ao condutor e ainda tivesse havido tempo para formalidades. O mais natural teria sido que, após ter tomado conhecimento do estado da pessoa que era transportada na ambulância, a GNR tivesse feito o trabalho de garantir um trajecto o mais desimpedido possível à ambulância, permitindo a chegada desta o mais rapidamente possível ao hospital.

Mas não... normal neste país são as formalidades e a bur(r)ocracia...

Sabichões 2007

Ora aí está uma iniciativa dos nossos amigos Alex e Rui Grave (desculpem se me esqueci de alguém) que eu já tiva a oportunidade de viver tanto como concorrente como organizador: a 9.ª edição do concurso Inter-Freguesias "Os Sabichões", cuja edição de 2007 decorrerá este ano na freguesia da Gafanha da Boa-Hora (Vagos). Trata-se de uma iniciativa que prima pela boa disposição e o humor ao mesmo tempo que as equipas concorrentes são testadas nas mais diversas áreas de conhecimento. O público tem entretenimento garantido.

A edição d'Os Sabichões 2007 tem este ano um blog onde, aquando da edição deste post, é anunciado o calendário das provas, a decorrerem nas seguintes datas:

1.ª Sessão - 13 Outubro
2.ª Sessão - 20 Outubro
3.ª Sessão - 27 Outubro
Finalíssima - 10 Novembro

As sessões começam sempre as 21h00 e decorrerão, penso eu, na Casa do Povo da Gafanha da Boa-Hora. O sorteio das equipas está agendado para o próximo dia 29 de Setembro às 21h00 na Casa do Povo.

Aproveito para desejar a maior sorte e felicidade aos elementos da organização. Eu e o meu grande amigo Hector já por lá passamos e sei perfeitamente o trabalho que dá este evento, mas é gratificante. Acreditem.

Não percam!

Politiquês

"O CDS é a única oposição capaz de fazer frente ao desgoverno camarário - oposição crítica e credível. (...) este Executivo e o seu Presidente precisam de mais e melhor oposição. (...) O CDS de Vagos é hoje um partido audacioso e determinado".

Filipe Ramos, Presidente da CPC do CDS de Vagos (in O Ponto, 11 de Setembro de 2007)

Uma das palavras mais comuns em política, em particular quando não se tem uma única ideia concreta e, mesmo assim, se pretende lançar críticas sobre o partido no poder, é a palavra desgoverno. Neste contexto a palavra aparece sozinha, sem qualquer ideia a acompanhar, demonstrando apenas que estamos perante um discurso que serve apenas para gastar tinta.

Tudo fica mais claro quando se afirma que é necessária "mais e melhor oposição", sem explicar como, e ainda por cima evidenciando que até então não era isso o que o CDS tinha vindo a fazer em Vagos (o que não deixa de ser verdade). Sem qualquer ideia concreta, esta frase só por si também não garante que haja alguma alteração no desempenho da dita oposição.

O discurso pode ser ainda mais auto-lesante quando se diz que hoje é "um partido audacioso e determinado". Porquê? Antes não era? Bom, pelos menos nesse aspecto ficamos esclarecidos...

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Tanta raiva

"E agora eu olho à minha volta
Vejo tanta raiva andar à solta"

José Mário Branco (Excerto da letra "Chulinha")

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

How to Cope With Death

"How to Cope With Death" (ou "Como enfrentar a morte", numa tradução livre) é um filme de animação de 2002, vencedora de uma série de prémios que vale a pena ver. Fica a sugestão.

A Igreja é uma verdadeira confusão

"A Igreja é uma verdadeira confusão, não é um sítio asseado. Porque o homem não é asseado"

Thomas Gifford, in "Assassini"

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Com Brio!

Não, infelizmente não vi o jogo da Selecção Nacional de Rugby: eu sou daqueles que reclama do facto da transmissão dos jogos da nossa selecção, que pela primeira vez foi apurada para o Mundial de Rugby e é a única selecção amadora da modalidade a disputar esta competição, não serem transmitidos em sinal aberto. Das imagens que eu vi posteriormente ao jogo, esta é sem dúvida a que mais me marcou: o brio, a garra e a emoção com que esta selecção cantou o hino nacional é bem reveladora do espírito que esta equipa transportou para o campo.

Que raios! Perderam, mas perderam com garra!

terça-feira, 4 de setembro de 2007

"De pernas para o ar"

Alguma me coisa me diz que o mote da última campanha promocional do Millennium BCP - "Vira a tua vida de pernas para o ar" - terá sido inspirada no período conturbado que esta instituição financeira atravessou nos últimos meses...

Back to Business

Pois é, as férias já lá vão e agora é o lento regresso a vida, tal como ela é. Serve isto para justificar a minha ausência deste cantinho do ciber-espaço, tendo-me recolhido intencionalmente durante as férias para um sítio onde eu não tivesse acesso a qualquer computador e poder desse modo desfrutar merecidamente bastante tempo de qualidade com a família.

Os posts seguem dentro de momentos...