quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Inteligência?

«Achas que elas não reconhecem que estão a ser caçadas?», perguntou Delaware. «Isso é uma estupidez».

Anawak revirou os olhos.

«Elas não reconhecem necessariamente um padrão. As baleias piloto vão sempre para as mesmas baías. Nas ilhas Feroé, os pescadores empurraram-nas para terra e batem-lhes indiscriminadamente com estacas de ferro. Verdadeiras matanças. Ou vê o que acontece no Japão, em Futo, onde chacinam inúmeros golfinhos e toninhas. Esses animais sabem, desde há gerações, o que os espera. Porque voltam sempre?»

«Não demonstra muita inteligência», disse Ford. «Por outro lado, nós continuamos a emitir todos os anos gases para a atmosfera e a abater árvores na floresta, embora saibamos que não devíamos. O que também não demonstra muita inteligência, não vos parece?»

Frank Schätzing, in "O Quinto Dia"

"O Quinto Dia" foi o último livro que "passou" pela minha mesa de cabeceira. Trata-se de uma leitura com um pouco mais de 900 páginas que se lêem quase de maneira compulsiva (alguns gostariam de dizer obcessiva, mas isso é outra história - sim, obcessiva está mal escrito!).

A humanidade vê-se confrontada com uma ameaça que poderá levar à sua extinção, uma ameaça que vem dos oceanos, e que não é mais do que um reflexo contra todos os atentados que temos feito contra o nosso ecossistema global. Nada será como dantes...

Numa história escrita quase de forma cinematográfica, o autor explora um tema que tem tido um grande destaque - a fragilidade do meio ambiente - um tema que ganhou ainda particular destaque depois da atribuição do Nobel (/Nobél/) a Al Gore e ao IPCC.

Assente no que parecem ser bons conhecimentos de biologia e oceanografia (digo parecem porque não tenho à vontade nestes assuntos),
Frank Schätzing desenvolve uma teoria bastante interessante, mas sem nunca esquecer que é ficcional, na qual o mundo habitado pelos humanos se vê confrontado com o facto de que não vive só. O Homem pôs em risco o ténue equilíbrio do planeta pelo que tem que ser eliminado antes que seja tarde demais.

Decididamente uma obra que penso valer a pena ler.

Sem comentários: