domingo, 7 de outubro de 2007

Ave Verum Corpus, KV618

Ave Verum Corpus, é um motete que foi composto por Wolfgang Amadeus Mozart alguns meses antes da sua morte em 1791. Esta peça para um coro de quatro vozes mistas e uma orquestração simples foi composta para ser tocada e cantada na Festa do Corpo de Deus, a 19 de Junho desse ano. Foi dedicada a Anton Stoll, amigo e director do Coro de Banden.

A música teve por base um texto originalmente composto por um autor anónimo do século XIV. Trata-se de um hino curto, constituído por poucos versos, que já foi utilizado pelos mais diversos compositores musicais, sendo a versão de Mozart a mais conhecida e, por ventura, uma das peças corais mais marcantes e tocantes.

O texto oficialmente adoptado é o seguinte:

Ave verum corpus natum de Maria Virgine
Vere passum, immolatum in cruce pro homine
Cuius latus perforatum fluxit aqua et sanguine
Esto nobis praegustatum mortis in examine
O Iesu dulcis, o Iesu pie, o Iesu fili Mariae.


ou em português:

Salve, ó verdadeiro corpo nascido da Virgem Maria
Que verdadeiramente padeceu e foi imolado na cruz pelo homem
De seu lado trespassado fluiu água e sangue
Sê para nós remédio na hora tremenda da morte
Ó doce Jesus, ó bom Jesus, ó Jesus filho de Maria.


Trata-se de um texto em que a Paixão de Cristo é manifestamente exaltada, levando os fieis a uma meditação profunda sobre a sua salvação através do Redentor.

Infelizmente a mesquinhez e a ignorância obstinada de algumas pessoas, deturpadas por problemas maníaco-obsessivos, com tendências compulsivas para a ofensa gratuita, só porque a ouviram uma vez num funeral, as levam a pensar que esta peça da expressão máxima do classicismo não passa de uma "música para funerais".

Mas quando as pessoas teimam em ser ignorantes, o que é que podemos fazer?

9 comentários:

Andábata disse...

Que pode ser ouvida aqui:
http://www.studio-mozart.com/mozart/english/medialibrary/mp3/kv618.htm

Tony Almeida disse...

Andábata ;-)

Obrigado pelo complemento!

Um abraço.

rodrigo disse...

Rodrigo said...
Reparei que tem ali o Humoral da Hitória na sua lista de links. Acontece que devido à última remodelação do site do Expresso, esse blog passou a ter uma nova morada, que é a seguinte:

http://expresso.clix.pt/gen.pl?sid=ex.sections/23465

Quando puder, actualize. Obrigado!

Tony Almeida disse...

Está feito!

Um abraço.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Tony Almeida disse...

tss, tss...

Nada como o anonimato para facilmente ofender. Para além da dificuldade de lidar com a inveja, este meu anónimo detractor ainda por cima revela ser analfabeto funcional, confundindo dificuldade de interpretação com erros... acontece.

Ah! A propósito: obsessivo é com bs. A palavra obcessivo não existe.

José Geraldo disse...

Ótimo foi a tradução de Ave Verum Corpus para o português.

Anónimo disse...

Meus caros senhores, não posso deixar de reparar que há pelo menos uma informação errada no artigo de apresentação: ave verum corpus é um escrito dogmático composto por São Tomás de Aquino. abraço
Nuno Pacheco - teólogo

Tony Almeida disse...

Obrigado pelo comentário. De facto, posteriormente eu li que a autoria deste texto era atribuído ao Papa Inocêncio VI, se bem que é uma informação que nunca actualizei. Desconhecia por completo que fosse de São Tomás de Aquino