sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Cancelado!

No mundo do desporto motorizado, o dia de hoje fica marcado pelo inédito cancelamento do rali Lisboa-Dakar. A poucas horas do início da prova, a organização francesa da prova, a responsável máxima pelo rali, decidiu, após os sérios avisos do governo francês sobre o clima de segurança na Mauritânia, que este ano, pela primeira vez na história do rali que liga os continentes europeu e africano, não se realizaria a prova.

Compreendo a preocupação com a segurança da comitiva e espectadores. O que me intriga, e muito, é o facto de esta não ser a primeira vez que esta prova decorre debaixo de um clima de incerteza e insegurança. Também estranho que seja esta a primeira vez que o governo francês faz este tipo de avisos junto da organização do Dakar.

Estranho é assistir a um comité organizador preocupado com os avisos de um governo - do seu governo, diga-se - onde são destacadas notas de de insegurança, diagnóstico que advém inicialmente da morte de quatro turistas franceses na Mauritânia. E se tivessem sido portugueses, como ouvi hoje perguntar a um dos corredores? Ou de outra nacionalidade? Será que o comité francês iria ter em conta os avisos dos respectivos países que viram os seus cidadãos assassinados?

Ou não passará tudo de um pretexto?

Se o rali se chamasse Paris-Dakar, será que seria tomada a mesma decisão? Será que o presidente Sarkozy permitiria que o seu governo fizesse os mesmos avisos? Será que a organização, nas mesmas condições, anularia a prova?

Ou será que o nome Lisboa-Dakar incomoda o Palácio do Eliseu? Porque é que, estando confirmado no final do ano passado que a partida do Dakar 2009 seria em Lisboa, esta será tema de conversa entre a organização portuguesa e a responsável máximo da prova, a francesa Amaury Sports Organisation (ASO)?

Coincidências?

Sem comentários: