terça-feira, 27 de maio de 2008

Por falar em margens...

As petrolíferas dizem que não têm margem para baixar preços dos combustíveis, o problema é que muitos consumidores há muito que não tem margem para pagar os preços absurdos que estão a ser praticados, não apenas no combustível mas em todos os bens de consumo que foram na sua generalidade afectados por esta alta de preços fictícia.

Nitidamente, a indústria petrolífera tenta neste momento limpar a sua imagem junto da opinião pública, agora através da Apetro. Como querem que a opinião pública acredite que a margem é de apenas alguns cêntimos. O que entendem eles por "alguns cêntimos"? Na BP, um cêntimo menos é sinal de resultado negativo? Então as estações de serviço dos hipermercados devem estar a perder dinheiro a rodos! E como é que a BP consegue a campanha de descontos com o Lidl?

E porque agora uma campanha sobre "Eficiência Energética destinada aos consumidores de combustível"? Então a indústria petrolífera, depois de anos de lobbying junto da indústria automóvel no sentido de atrasar a introdução de energias alternativas, agora é que se lembra de fazer uma campanha para a eficiência? Só agora, que os preços estão inflacionados pela especulação do mercado e que sentem a opinião pública virada contra eles?

Então a industria petrolífera é isto? Uma indústria reactiva?

Sinceramente, fico mais convencido que a acção de boicote ao consumo, para além de uma óptima alternatica energética, é uma maneira de mostrar que a sociedade não pode pactuar com uma instituição que apenas procurar demonstrar que se preocupa com o bem-estar da sociedade quando esta lhe vira as costas.

Sem comentários: