quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Curto-Circuito III

Depois do prometido aumento de 2,9% na Função Pública, segue-se mais um brinde do governo: aumentos na energia eléctrica de apenas 4,3% para os utilizadores domésticos, e de 5,9% para a indústria.

Estes aumentos correspondem a um tecto definido politicamente pelo nosso rápido Ministro da Economia, uma vez que a actual legislação aplicável ao tarifário eléctrico prevê uma intervenção governativa no processo de fixação de preços, e - que raio! - para o ano há eleições.

E não se trata de um gesto inédito.

Pelo segundo ano consecutivo vamos pagar a energia eléctrica abaixo do seu valor real, e não se trata de nenhuma prenda. Tudo isto tem o seu custo e está a ser bem guardado no livro de "dever e haver" do sector eléctrico. Estamos apenas a portelar o pagamento de um buraco financeiro que vai ficar ainda maior com esta decisão.

Sem comentários: