sábado, 30 de junho de 2007

As Sete Maravilhas da Blogosfera

Quando eu pensava que o conceito "As Sete Maravilhas" já não tinha muito mais para dar, venho descobrir que afinal também está a decorrer a eleição das Sete Maravilhas da Blogosfera, uma ideia que surgiu no Sentido das Coisas.

A ideia é simples e o regulamento está disponível. Atenção que a votação decorre até amanhã!

Alinhando nesta ideia, cá vão os meus eleitos:

1. http://antero.wordpress.com - Anterozóide
2. http://jumento.blogspot.com - O Jumento
3. http://wehavekaosinthegarden.blogspot.com - We Have Kaos in the Garden
4. http://fliscorno.blogspot.com - Fliscorno
5. http://raim.blogspot.com - Raim's Blog
6. http://aduplapersonalidade.blogspot.com - A Dupla Personalidade
7. http://origemdasespecies.blogspot.com - A Origem das Espécies

Tá feito...

Afinal não foi Al Gore

No blog De Rerum Natura é reproduzido o início de um artigo do "New York Times" que trata da exposição patente em Washington sobre os Descobrimentos Portugueses. Segundo este mesmo artigo foi Portugal quem inventou a Internet... bem "Internet" é uma forma de falar, mas que se trata de uma maneira original de ver as coisas, lá isso é.

A seguir o excerto publicado no De Rerum Natura:

Portugal, Conquering and Also Conquered
By HOLLAND COTTER


WASHINGTON, June 22 — A little-known fact: A version of the Internet was invented in Portugal 500 years ago by a bunch of sailors with names like Pedro, Vasco and Bartolomeu. The technology was crude. Links were unstable. Response time was glacial. (A message sent on their network might take a year to land.) They put up with it all. They were hungry to gain access to the world.


That’s the basic story of “Encompassing the Globe: Portugal and the World in the 16th and 17 Centuries” at the Arthur M. Sackler Gallery, a show that glows like a treasury, radiates like a compass and seems as rich with potential information as the World Wide Web.

Dever de Lealdade

Ficou-se a saber que afinal a Directora do Centro de Saúde de Vieira do Minho foi demitida por "quebrar o dever de lealdade" para com a excelentíssima e reverendíssima figura do ministro da saúde, pelo simples facto dela não ter retirado das instalações do centro um cartaz com declarações em termos jocosos do ministro da saúde. O mesmo ministro que no dia anterior respondeu em termos jocosos à questão feita pelo representante da Associação Nacional de Farmácias sobre o que fazer com os medicamentos excedentários entregues nas farmácias.

A minha pergunta é: será que o dever de lealdade do Primeiro Ministro para com o povo que o elegeu não o devia obrigar a demitir este ministro jocoso? Ou não há ninguém que demita este Primeiro Ministro por quebra de lealdade?

quinta-feira, 28 de junho de 2007

«Se»

«Na verdade, minha querida Esmeralda, «se» é a palavra mais terrível, mais angustiante da condição humana. Tenho plena consciência de que, se as nossas decisões tivessem sido diferentes em alguns dos momentos cruciais ou se as circunstâncias fossem outras, mesmo que ligeiramente, a história da nossa família ainda poderia ter um final feliz. A realidade, porém, é só uma, as considerações sobre o que aconteceria «se» não passam de uma dolorosa fantasia a que nos entregamos quando queremos fugir dos fantasmas que nos perseguem ao longo da vida por causa das nossas decisões e das circunstâncias em que elas foram tomadas.»

José Rodrigues dos Santos, in "A Ilha das Trevas"

Os Sete Horrores

Um "concurso" que tem dado a volta à cabeça muita gente tem sido aquela campanha comercial denominada as (novas) Sete Maravilhas. Fundamentalmente pretende-se com esta iniciativa - comercial, repita-se - eleger as novas Sete Maravihas do Mundo Moderno, uma vez que das Sete Maravilhas do Mundo Antigo apenas sobrevivem as Pirâmides de Gizê. Diga-se em jeito de nota que a UNESCO demarcou-se completamente desta campanha que classifica como "lamentável confusão".

Esta iniciativa entretanto já ramificou em outras escolhas: As Sete Maravilhas de Portugal (porque da lista final das Sete Maravilhas não aparece nenhum monumento português), Os Sete Melhores Desportistas Portugueses, As Sete Maravilhas de Vagos (desculpem mas para este não encontrei um link, a lista que aparece no blog d'O Ponto está incompleta)... "you name it".

Pois bem, dentro deste espírito o jornal Público começou agora a campanha denominada "Os Sete Horrores de Portugal", sim porque nem toda a obra do homem é bonita, não é? Tal como diz o texto introdutório "Portugal não tem só maravilhas. Também tem horrores. Propomos assim que os nossos leitores votem e escolham os 7 Horrores de Portugal".

Desta lista podemos ver que alguns dos nossos vizinhos foram "contemplados" a figurar nesta lista inicial:

- O Edifício da Segurança Social em Aveiro (pelos vistos conhecido como "Torre Merdasca", sinceramente desconhecia);

- O Edifício Sede da Revigrés, em Barrô;

- O Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro; e

- O Centro Cívico de Barrô.

Coimbra também viu algumas nomeações: a Ponte Europa, o Centro Comercial Fórum (por dentro pode ser giro e até já ganhou um prémio internacional, mas a localização e a forma como destoa o prédio de todo o espaço circundante é deveras gritante), a Torre do Arnado, a Faculdade de Medicina e até o edifício onde está albergada a Direcção da FCTUC.

Mais impressionante desta lista é ainda constatar que nem a Basílica de Fátima escapou!

Os dados estão lançados, façam as vossas apostas.

quarta-feira, 27 de junho de 2007

C@#*&%&%$ dos spywares, malwares e Cia. lda.

Pois é, pois é... por muito que o anti-vírus estivesse a ser actualizado todos os dias, por muito que tivesse os meus programas de anti-spyware em dia (sim, sim... eu escrevi os programas, mais do que um), por muito que eu fizesse várias pesquisas no meu disco para ver se estava tudo bem, por muito que tivesse todo o cuidado do mundo com os sítios por onde eu "passeio" na web, pois bem, mesmo com todos esse cuidados apanhei o malfadado de um malware, do tipo hijacker (para os menos entendidos nestes assuntos, desculpem o jargão) que me fez a vida negra nos últimos dias.

Disco limpo e desinfectado (pelo menos a acreditar na pilha de testes que fiz) está na hora de pôr a casa em ordem e recuperar o tempo perdido.

Entretanto vou aparecendo novamente por estas páginas...

sexta-feira, 22 de junho de 2007

A atracção do mal

«A verdadeira atracção do mal reside na facilidade com que se pode seguir por esse caminho. (E, acrescentemos à laia de conclusão, a posterior impossibilidade de regresso).»

Salman Rushdie, in "Os Versículos Satânicos"

As coisas não correram mesmo bem...

Sub-21: Portugal afastado dos Jogos Olímpicos de Pequim

Hóquei em patins: Portugal eliminado pela primeira vez nos quartos-de-final

quinta-feira, 21 de junho de 2007

Ele há coisas...

Ratazanas embriagadas causam prejuízo à polícia

Verdades espantosas

«Uma vez que a história implicava sempre demasiadas versões e mal entendidos, nunca atraíra muito T.. Preferia as verdades demonstráveis da matemática e as mentiras demonstráveis da física quântica que, por vezes, escondiam verdades espantosas»

Gore Vidal, in "O Instituto Smithsonian"

quarta-feira, 20 de junho de 2007

Diferença entre o amor e a amizade

«À diferença do amor, que extravasa a toda hora, a amizade precisa ter os seus diques»

Chico Buarque, in Budapeste

terça-feira, 19 de junho de 2007

Prémio: "E Se Juntaram Mais Uns Trocos Também Vendo a Minha Mãe"

«venham de lá três milhões extra que nós não nos importamos de assinar Llisboa»

Afirmação do director-geral do Turismo de Lisboa, Vítor Costa, que foi vereador na autarquia da capital num mandato de coligação PS/PCP, sobre marca turística semelhante a Allgarve

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Grecas: nova "morada"

O GRECAS mudou de armas e bagagens para nova morada na blogosfera. Agora podem ser encontrados aqui.

Ainda há dúvidas?

Mas será que ainda há quem tenha dúvidas sobre a localização do novo aeroporto? O governo de certeza que não tem (apesar de demonstrar agora que está aberto a novos estudos), e a NAER muito menos... pelo menos a julgar pela primeira página do seu sítio na internet onde são dadas as boas vindas "ao novo aeroporto" com o nome da Ota bem visível.

Arte Sacra roubada aparece em Setubal

Mais uma vez Bandeira

Bandeira, in DN online

A loja dos 300 da DREN

Na já famosa entrevista da Directora da DREN, Margarida Moreira, ao DN, entrevista cujo teor e timing já foi questionado na blogosfera, há uma passagem, de entre muitas, que eu gostaria de destacar:

«Nós temos tudo o que tem saído na comunicação social, nos blogues, ofícios, em tomadas de posição, em artigos de opinião...»

Sinceramente o que me ocorre assim de repente dizer é: xiça! tudo isso?! É assim tipo loja dos 300: temos de tudo. Bem, de tal afirmação peremptória posso extrapolar que este post também já consta desse rol quase infindável de documentos, lista que eu espero, a bem da natureza, esteja a ser preservada em formato informático, caso contrário estaremos a falar de resmas, resmas de papel...

O que me preocupa deverás é como é que esta informação está a ser recolhida. Será a própria directora da DREN que procede a recolha deste imensurável manancial de informação? Será que existe um funcionário da DREN destacado para esta missão? Ou será mais do que um? Ou será que foi feita alguma requisição dos serviços de informação do estado, mais preparados para fazer este tipo de recolha de informação?

E que tal preocupar-se com a educação deste país em vez de perder tempo com actuações que mais fazem lembrar a polícia política e, acima de tudo, a gastar dinheiro dos contribuintes em questiúnculas palacianas? Uhm?!

Imagem retirada do site do Diário de Notícias

domingo, 17 de junho de 2007

Dificuldades com os vivos

«Perguntei-lhe se, visto poder falar com uma pedra,podia comunicar com os mortos - disse Xi.

- E que respondeu ele?

- Disse que com os mortos era fácil. As suas dificuldades eram com os vivos»

Carl Sagan, in "Contacto"

Não chegou...

Ora vejamos, Portugal ganhou a selecção de Israel por 4-0 *e* José Couceiro não estava no banco. Coincidência?

Acho que há aqui motivos muito sérios para nos insurgirmos contra a arbitragem deste europeu: há muito que José Couceiro deveria ter sido expulso mas os árbitros teimaram em não mostrar a cartolina ao seleccionador nacional. Será o sistema?

Mantenho as críticas que já fiz a este seleccionador e lamento que esteja em risco a participação da selecção nacional nos Jogos Olímpicos de 2008. Mais uma vez precisamos daquela ferramenta muito importante no futebol português: a máquina de calcular.

sábado, 16 de junho de 2007

Incompetência

É de conhecimento geral que o Ministério da Educação deu um tiro no pé aquando da história da repetição dos exames do 12.º ano no ano passado. O recurso a esta medida avulsa apenas foi mais uma as facetas injustas a que este (des)governo nos tem (infelizmente) habituado.

Agora esta injustiça foi claramente salientada pelo Tribunal Constitucional, o qual classificou como institucionais "as normas que, no final do ano lectivo 2005/2006, permitiram repetir os exames de Física e Química do 12.º ano, necessários para ingresso no ensino superior, apenas aos alunos que compareceram na 1.ª chamada".

Na altura os pais e encarregados de educação acharam que estas "directivas" emanadas pelo Ministério da Educação eram injustas e houve mesmo alguns pais que avançaram para tribunal, tendo todos os casos que me chegaram a conhecimento ganho o direito a fazer a repetição do exame e, no caso de obter média para tal, ver garantida uma vaga no curso superior onde o aluno pretendia ingressar. Começou com um caso em Coimbra e houve mesmo um caso em Vagos. Xeque a Ministra.

O Tribunal Constitucional apenas veio dar o Xeque-Mate.

Tragédia sanguinária...

«À entrada do bloco esperava-nos o terror... Soldados, ou o que restava deles, e um bocado por todo o lado, faziam bicha deitados em macas, naquele exíguo espaço que não fora dimensionado para semelhante afluência. Os enfermeiros de serviço procuravam fazer a triagem da situação, identificar sumariamente a identidade e o estado das vítimas, ao mesmo tempo que corriam connosco de lá para fora. As portas do bloco operatório, sempre a abrir e a fechar, mostravam de forma intermitente a tragédia desta guerra... a mais sanguinária que se possa imaginar:

Soldados a serem amputados de uma ou mesmo das duas pernas, em condições de trabalho impensáveis! Aqueles médicos só sendo super-homens ou super-dráculas, poderiam aguentar um turno daquela carnificina, não havia meio-termo...

Os cheiros a suor,sangue, calor e outros mais pestilentos, misturados com gritos lancinantes, transformavam aqueles profissionais em monstros/deuses com gestos sempre bruscos e mecanizados. Nenhum sentimento ou emoção parecia cobrir-lhes o suor a correr em bica dos rostos; apenas o frenesim nas serras a cortar a carne e os ossos para desgraçar a vida, mas matar a morte..."

João Carlos Sarabando, in "As Hienas Também Choram"

sexta-feira, 15 de junho de 2007

São Pedro

Sobre este tempo outonal a uma semana de começar oficialmente o verão, está escrito no Black Moleskine

«Eu por mim este ano não se comemorava o S. Pedro. Ignorava-se o dia, para ver se ele deixa de brincar com o joystick do tempo que lhe deram no Natal.»

Confesso que tem piada... pena é que a culpa não seja de São Pedro.

"Alma Llanera"

Nos últimos dias tenho mantido a minha atenção virada para o blog A Origem das Espécies, em particular porque um dos seus bloguistas, o FVJ, parece que terá viajado até a Venezuela.

As suas impressões da capital venezuelana, o controlo no aeroporto, as manifestações e alguns pontos que ele considerou surpreendentes estão retratados no seu blog.

E depois falou de La Guaira.

A Venezuela é um país que me marcou profundamente: é a minha terra natal e foi lá que vivi a minha infância. Foi lá que fiz as minhas primeiras amizades às quais infelizmente já perdi rasto. Morei em Macuto, no Distrito Federal, agora denominado Estado Vargas senão me engano, mesmo ao lado de La Guaira. Era só pegar na toalha, dizer "vou a praia" e percorrer alguns metros para poder mergulhar nas águas das caraíbas.

Foi para mim uma grande surpresa quando, no ano de 1983, foi decidido o regresso da família à terra natal. O meu pai teve a grande perspicácia de perceber que o rumo que o país estava a tomar então não alvitrava um futuro feliz. E assim foi.

Custa-me ver a Venezuela que eu conheci refém de um megalómano egocéntrico, completamente cego pelo poder, e que ilude a população com um jogo de "pão e circo". Ofende o seu inimigo de estimação ao mesmo tempo que atira umas migalhas ao povo para manté-lo calado. As vozes críticas vão sendo silenciadas sendo a prova mais recente o fecho da Radio Caracas Televisión (RCTV), outra das memórias da minha infância. Sobre este facto, fiquei agradado por saber que a "Radio Rochela", um programa de humor com 48 anos de emissões ininterruptas e que lhe valeram um registo no Guiness, continua a ser apresentada mas agora nas ruas (!), sempre com o público a acompanhar os comediantes.

Desde 1984 que nunca mais regressei a Venezuela e, sinceramente, não consigo ganhar coragem para lá voltar: o medo da decepção profunda é grande e prefiro guardar a memória que ficou registada antes da minha vinda para este lado do Atlântico.

quinta-feira, 14 de junho de 2007

Sub-21 à beira do desaire

Decididamente não gosto muito de comentar nestas páginas futebol, mas o "andamento" da selecção lusa no campeonato sub-21 de futebol sinceramente me tem desiludido. Mas é uma desilusão que já vem da fase de apuramento.

A selecção nacional de futebol sub-21 "apanhou" 2-1 frente à equipa anfitriã, sendo deste modo atirada para o terceiro lugar do grupo e pondo em risco não apenas a continuação na prova como também o apuramento para os Jogos Olímpicos de Pequim.

Com este resultado a equipa portuguesa vê-se na necessidade de recorrer a uma das ferramentas mais importantes do futebol nacional: a máquina de calcular. Temos que ganhar à selecção israelita (será assim tão difícil?!) e esperar que a Holanda ganhe à Bélgica (desde que o resultado do jogo não esteja "combinado", tal como afirmaram alguns jogadores lusos).

Certo é que o andamento da selecção nacional na fase final do campeonato sub-21 é um reflexo daquilo que o seleccionador nacional, José Couceiro, fez durante a fase de apuramento: não ganhar e rezar para que os factores estivessem do nosso lado. Funcionou na fase de apuramento mas não parece que venha funcionar agora. Lamentavelmente foi o suficiente para que o seleccionador se mantivesse no lugar, para mal da selecção sub-21 que se viu nas mãos de um estratega do futebol pouco ambicioso e que, decididamente, não está talhado para o lugar que ocupa. Não o foi antes e não o é agora.

Inquérito de Opinião sobre o Aeroporto

No blog Os Infiltrados foi publicado o remake de uma anedota, agora adaptada à questão da escolha do local do novo aeroporto, que achei interessante divulgar por estas paragens. Cá vai:

Uma empresa de sondagens, para agradar ao primeiro-ministro, tentou fazer um inquérito com a seguinte pergunta:

“Honestamente, diga em sua opinião, se fosse o líder do Governo qual o local que escolheria para construir o novo aeroporto”.

- O PS desconhece o significado de “honestidade”;
- O PCP estranhou e pediu mais explicações sobre “opinião”;
- O PSD não entendeu o que significa “líder”;
- O BE não entende nem sabe o que é “Governo”;
- O CDS/PP entrou numa cena de pancadaria devido a “escolher”;
- O Parlamento ainda está a debater o que significa “construir”;
- O Povo nem quer ouvir falar na palavra “aeroporto”.

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Ota?

E de repente, quando menos se esperava, o governo recua na questão da Ota. Recua?! Não!! Apenas ganha tempo.

Será que alguém ainda está convencido de que o governo, depois de todo o tempo investido neste assunto, já para não falar de outros investimentos que possam estar por detrás, vai deixar cair o aeroporto na Ota?

O Primeiro Ministro, através do seu ministro da obras públicas (ou vocês estavam a espera que fosse o próprio Primeiro Ministro a fazer uma declaração destas?), veio anunciar que afinal a questão da Ota vai ficar "de molho" durante seis meses, enquanto se aguarda um relatório que permita fazer uma comparação com a opção Alcochete.

Esta tomada de posição está longe de ser um recuo: é apenas uma forma de ganhar tempo ao mesmo tempo que cala as vozes da oposição o tempo suficiente para que a presidência portuguesa da União Europeia não seja maculada por este assunto que tanta polémica tem levantado na sociedade. O timing foi deliberadamente escolhido para que este assunto evitasse desgastar o governo durante precisamente os seis meses que dura a presidência portuguesa.

Este interregno de seis meses para a elaboração de um relatório pelo LNEC permite "calar" os partidos da oposição e consegue ainda acalmar as dúvidas que o Presidente da República tinha vindo a manifestar recentemente sobre a escolha cega e teimosa da Ota.

Ora, um relatório comparativo pode muito bem dizer aquilo que seja mais conveniente, ou não fosse o governo especialista na formatação neste tipo de estudos: basta ver como foram feitos os estudos que decidiram quais as SCUT que deveriam passar a ser pagas e quais não.

Porquê apenas Alcochete? Porquê não outras localizações? Porquê não soluções híbridas do tipo "Portela mais um"? Afinal os impactos ambientais devidos a o aeroporto da Portela já existem, porquê não optar por uma solução que tire proveito de infraestruturas existentes?

Certo é que passados seis meses, depois da presidência portuguesa da UE estar concluída, iremos ter um relatório cujas conclusões, do ponto de vista do governo, irão favorecer a opção Ota.

A discussão continua após os comerciais.

terça-feira, 12 de junho de 2007

Selecção Nacional de Basquetebol em Vagos

A Selecção Nacional de Basquetebol de Seniores Masculinos começa hoje um estágio de preparação que culmina com um Torneio Internacional que decorrerá entre os dias 22 e 24 de Junho.

Os treinos decorrerão no Pavilhão de Vagos e terão o seguinte calendário:
  • 12 de Junho - Treinos das 11:30 às 13:00 e das 18:00 às 20:00
  • 13, 14 e 15 de Junho - Treinos das 10: 00 às 12:00 e das 17:00 às 19:00
  • 16 de Junho - Jogo Treino - Sel. Sub 20 X Sel. Seniores - 15:00
  • 18 de Junho - Treinos das 11:30 às 13:00 e das 18:00 às 20:00
  • 19, 20 e 21 de Junho - Treinos das 10:00 às 12:00 e das 17:00 às 19:00
Apesar dos treinos serem em Vagos, a selecção nacional ficará alojada em Mira no Hotel Quinta da Lagoa, o que eventualmente reflecte ainda o nosso parco leque de opções hoteleiras no concelho.

No entanto, a opção de Vagos ser a sede da selecção nacional de basquetebol mostra como o nosso concelho está na rota das provas profissionais desta modalidade.

"...E viveram felizes para sempre"

«Antigamente todos os contos para crianças terminavam com a mesma frase, e foram felizes para sempre, isto depois de o Príncipe casar com a Princesa e de terem muitos filhos. Na vida, é claro, nenhum enredo remata assim. As Princesas casam com os guarda-costas, casam com os trapezistas, a vida continua, e os dois são infelizes até que se separam. Anos mais tarde, como todos nós, morrem. Só somos felizes, verdadeiramente felizes, quando é para sempre, mas só as crianças habitam esse tempo no qual todas as coisas duram para sempre.»

José Eduardo Agualusa, in "O Vendedor de Passados"

segunda-feira, 11 de junho de 2007

Sobre o ego de Mourinho

Bandeira, sempre Bandeira...
Bandeira, in DN online

terça-feira, 5 de junho de 2007

Planos perfeitos

«No papel todos os planos são mais ou menos bons, porém, a realidade tem mostrado a sua irresistível vocação para desviar os papéis e rasgar os planos»


José Saramago, in "História do Cerco de Lisboa"

segunda-feira, 4 de junho de 2007

A Guerra

«Mas cada vida tem a sua própria guerra, e a guerra não é mais que o somatório de todas elas»


João Carlos Sarabando, in "As Hienas Também Choram"

domingo, 3 de junho de 2007

O planeta é real

«Começamos a pensar na Terra como um organismo, uma coisa viva. Começamos a preocupar-nos com ela, a interessar-nos por ela, a desejar-lhe bem. As fronteiras nacionais são tão invisíveis como meridianos de longitude, ou os trópicos de Câncer e Capricórnio. As fronteiras são arbitrárias. O planeta é real.»

Carl Sagan, in "Contacto"

sexta-feira, 1 de junho de 2007

Vagueira: Praia de Ouro

No dia da abertura da época balnear, a Quercus publicou uma lista das 196 praias com qualidade Ouro, praias que entre 2002 e 2006 foram sempre classificadas como Boas e sempre com análises boas em 2006, uma avaliação que segundo a Quercus "é muito mais limitada em comparação com a atribuição da Bandeira Azul porque apenas se baseia na qualidade da água das praias, apesar de ser mais exigente neste aspecto".

De entre estas 196 praias encontra-se a praia da Vagueira, mais um reconhecimento à qualidade da costa vaguense e que vem, deste modo, reforçar a Bandeira azul novamente conquistada este ano.

Agora perfeito, perfeito era não colocarem aquela música ambiente ao longo da praia... não há paciência para tanto Quim Barreiros, Toy, Marco Paulos e afins durante todo o dia.

Uma religião tão veloz como uma andorinha

«O cristianismo é uma religião apressada.Veja-se o mundo criado em sete dias. Mesmo a um nível simbólico, é uma criação frenética. Para quem nasceu numa religião em que a batalha por uma única alma pode ser uma corrida de estafetas ao longo de muitos séculos, com inúmeras gerações a passarem o testemunho umas às outras, a rápida resolução do cristianismo tem um efeito estonteante. Se o hinduísmo flui tranquilamente como o Ganges, o cristianismo anda azafamado como Toronto em hora de ponta. É uma religião tão veloz como uma andorinha, tão urgente como uma ambulância. Ela gira como uma moeda, exprime-se instantaneamente. Num momento estamos perdidos ou salvos. O cristianismo estende-se pelas eras passadas, mas em essência existe apenas um tempo: agora mesmo»

Yann Martel, in "A Vida de Pi"